sexta-feira, 30 de dezembro de 2005

Feliz Ano Novo!

Olá minhas vacas!! Só quero desejar um ano de 2006 excelente, repleto de felicidade e boas surpresas. E já agora, uma passagem de ano com muitos copos, gargalhadas e boa disposição! Divirtam-se!!! Saudações bovinas*

Vaidade e Vanglória

Era uma linda invenção de Esopo a do moscardo que, sentado no eixo da roda, dizia: «Quanta poeira faço levantar!» Assim há muitas pessoas vãs que quando um negócio marcha por si ou vai sendo movido por agentes mais importantes, desde que estejam relacionados com ele por um só pormenor, imaginam que são eles quem conduz tudo: os que têm que ser facciosos, porque toda a vaidade assenta em comparações. Têm de ser necessariamente violentos, para fazerem valer as suas jactâncias. Não podem guardar segredo, e por isso não são úteis para ninguém, mas confirmam o provérbio francês: Beaucoup de bruit, peu de fruit. Este defeito não é, porém, sem utilidade para os negócios políticos: onde houver uma opinião ou uma fama a propagar, seja de virtude seja de grandeza, esses homens são óptimos trombeteiros.
(...) A vaidade ajuda a perpetuar a memória dos homens, e a virtude nunca foi considerada pela natureza humana como digna de receber mais do que um prémio de segunda mão. A glõria de Cícero, de Séneca, de Plínio o Moço, não teria durado tanto tempo se eles não fossem de algum modo vaidosos; a vaidade é como o verniz, que não só faz brilhar, mas também durar, as madeiras.
(...) As desculpas, as reservas, a própria modéstia, bem reguladas, não são senão artes de ostentação; e entre estas artes não há melhor do que aquela de que Plínio falou, e que consiste em ser liberal de louvores e de elogios para com os outros, sobre os pontos em que cada qual possui alguma perfeição. Plínio disse-o muito lindamente: «Ao louvardes outrem, prestareis justiça a vós próprios; porque aquele que louvais ou é superior ou é inferior a vós, quanto ao objecto do elogio; se ele é inferior, mas digno de ser louvado, vós mais dignos sois, se ele é superior, e indigno de ser louvado, menos indignos sois vós». Os vaidosos são o escárnio dos homens sábios, a admiração dos tolos, os ídolos dos parentes, os escravos das suas próprias jactâncias.

Francis Bacon
, in 'Da Vanglória' - via Citador
Bom Ano e boas reflexões!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2005

Boas Festas

Num ano cheio de tragédias gregas aqui vão votos de FELIZ NATAL e próspero ANO NOVO a todos os leitores e colaboradoras destes blog!! Suas GANDAS VACAS!!!!

Vou de viagem e só regresso no ano novo e lá para os lados das minhas queridas sobrinhas a internet é escassa, por isso a todos BOAS FESTAS e um ano novo cheio de bloguisses!!!

Jinhos

domingo, 18 de dezembro de 2005

Europa, aí vão eles! ;)

Um grupo de alunos do 12º ano da EsMA (Escola Secundária Dr Manuel de Arriaga, da Horta) ganhou o emiciclo - traduz-se, em linguagem leiga, por ser o concurso das escolas secundárias sobre o Parlamento. Assim, em Fevereiro, rumam a Estrasburgo, direitinhos ao Parlamento Europeu! FORÇA e não nos deixem ficar mal!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2005

www.dalailama.com

Dalai muito à frente...!

Quem fala assim, não é gago!

Prémio Nobel Literatura 2005 - Excertos noticia CNN

Nobel literature laureate Harold Pinter has slammed U.S. President George W. Bush and British Prime Minister Tony Blair in a harsh award lecture, saying they should be prosecuted for the invasion of Iraq.
"The invasion of Iraq was a bandit act, an act of blatant state terrorism, demonstrating absolute contempt for the concept of international law," said Pinter, known for his outspoken criticism of U.S. foreign policy.

In his lecture, which focused more on politics than literature, Pinter launched a ferocious tirade against Bush and Blair, saying they were responsible for tens of thousands of deaths in the Iraq war.
"How many people do you have to kill before you qualify to be described as a mass murderer and a war criminal? One hundred thousand?" he asked, in a hoarse voice.

"We have brought torture, cluster bombs, depleted uranium, innumerable acts of random murder, misery, degradation and death to the Iraqi people and call it 'bringing freedom and democracy to the Middle East,"' Pinter said.

Pinter accused the United States of supporting "every right wing military dictatorship in the world" after World War II, from Chile to the Philippines.

"The crimes of the United States have been systematic, constant, vicious, remorseless, but very few people have actually talked about them," he said. "It has exercised a quite clinical manipulation of power worldwide while masquerading as a force for universal good. It's a brilliant, even witty, highly successful act of hypnosis."

Pinter said the U.S. "also has its own bleating little lamb tagging behind it on a lead, the pathetic and supine Great Britain."

He said both Bush and Blair deserve to be arraigned by the Hague, Netherlands-based International Criminal Court.

The U.S. has not ratified the court, but Britain has, Pinter noted, urging court officials to come look for Blair at his home.
"We can let the Court have his address if they're interested. It is Number 10, Downing Street, London," he said.
Pinter sofre de cancro na garganta, está neste momento em tratamento de radioterapia e mesmo assim fala mais do que muitos!!!!

Não há menino Jesus que nos valha

KADHAFI perguntou a Deus: como será a Líbia daqui a 4 anos?

Deus respondeu: estará destruída por inúmeros bombardeamentos americanos.

KADHAFI sentou-se no chão e chorou.

BUSH perguntou a Deus: Como serão os EUA daqui a 4 anos?

Deus respondeu: estará tudo contaminado por inúmeros ataques de armasbiológicas de Bin Laden.

BUSH sentou-se no chão e chorou.

JOSÉ SÓCRATES perguntou a Deus: Como será PORTUGAL daqui a 4 anos, depois do meu governo?

Deus sentou-se no chão e chorou...

terça-feira, 13 de dezembro de 2005

Café Cine-Teatro II

É só para vos dar conhecimento do sucesso que foi a inauguração deste novo espaço. No sábado houve um interessante recital de poesia. Sugiro que passem por lá e apreciem os pormenores: desde os marcadores de livros, as ementas-agendas, os aventais (obra da D. Alice), bem como a enorme variedade de livros, revistas e jornais que lá estam para folhear à vontade. Enquanto fazem isso bebam um chá de maçã-canela, acompanhado de um queque de chocolate, por exemplo.
Horário de funcionamento: Segunda-Feira a Domingo08:00 às 2:00
Os conctatos são os seguintes:
Blog: cine-teatro.blogspot.com
E-mail: cafe.cineteatro@gmail.com
Morada: Alameda Barão de Roches, n.º31, 9900-014 Horta

sexta-feira, 9 de dezembro de 2005

Parabens Gado Bravissímo

Já que não atendes o telefone....lá por fazeres 30 aninhos não tens que te armar em cara, SIM!!!!!

Aqui vão os votos de muitos parabens e que se repita por muitos e bons anos!!

A geração de 75 é como o vinho do porto e o Robert Redford, ficamos melhor com os anos.

BJS

Parabéns à Gado Bravo

Parabéns à minha geminha que hoje faz anos!!! Que contes muitos, sempre com boa disposição!!! Beijinhos!!!

quarta-feira, 7 de dezembro de 2005

Bar do Teatro Faialense

Reabre no próximo dia 10, o Bar do Teatro Faialense com nova gerência - Paulo Peixoto. O novo gerente promete algumas novidades, pretendendo ser um bar alternativo para quem aprecia cultura. Haverá projecção de filmes, bem como exposições e afins. Para além disso, terá algumas novidades a nível de doçaria confeccionadas pela D. Alice, com uma mãozinha da sua filha. Há por aí quem conheça os dotes culinários desta dupla! A acompanhar os respectivos doces também haverá uma gama bastante vasta de chás e mais tarde umas compotas artesanais do Norte do país. Esta 1ª quinzena será dedicada a David Mourão Ferreira e a 1ª de Janeiro a Mário Sá Carneiro. Também haverá um blog, que posteriormente será divulgado. Passem por lá e dêem uma forçazinha!

Parabéns Susebrava!


Image hosted by Photobucket.com

Muitos parabéns e muitos abraços! Tudo de bom para ti geminha :)

Até breve.

domingo, 4 de dezembro de 2005

Amigos

"Escolho os meus amigos, não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila. Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero o meu avesso. Que me tragam dúvidas e angústias e aguentem o que há de pior em mim. Para isso, só sendo louco. Quero-os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças. Escolho os meus amigos pela cara lavada e pela alma exposta. Não quero só o ombro ou o colo, quero também a sua maior alegria.
O amigo que não ri junto não sabe sofrer junto. Os meus amigos são todos assim: metade loucura, metade seriedade. Não quero risos previsíveis nem choros piedosos. Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade a sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice. Crianças, para que não se esqueçam o valor do vento no rosto e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou. Pois vendo-os loucos e santos, tolos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que normalidade é uma ilusão imbecil e estéril."

Orson Welles

ps: Mesmo sabendo que não vens cá de certeza absoluta, os meus (ou nossos) parabéns, Bruno S.. :))

terça-feira, 29 de novembro de 2005

Casa do Triângulo

Apesar de pagar as minhas quotas sem ter qualquer usofruto da associação (excesso de boa vontade e pura falta de tempo) deixo aqui o link para algum estudante do triângulo que venha para S. Miguel estudar e que precise duma mãozinha.
A «CASA DO TRIÂNGULO» é uma associação de pessoas naturais das ilhas açorianas, Faial, Pico e São Jorge, a viver na ilha de São Miguel.
Aqui também podem contar com um «prolongamento» das festas das nossas ilhas. Há sempre convívios a lembrar os dias mais importantes e a garantia de encontrarem sempre alguém que conhece outro alguém da vossa família.
Encontrei imensas pessoas que conheciam a minha família no Faial, mas um dos casos mais curiosos foi a professora primária da minha mãe que é de S. Jorge. É deveras engraçado saber como foi a nossa mãe na escola e contado pela sua professora! Um verdadeiro festival de loucura para chantagens. :)
À frente e fora de brincadeiras. O site está feio, triste e mal conseguido, além de constantemente desactualizado, mas como o que interessa nestes casos é a vontade de existir, aqui fica a quem possa interessar.

E se fosse a sério?


Não tenham dúvidas da gravidade da coisa.
Por razões profissionais, há 5/6 anos, vi o interior de muitas casas do centro histórico de Ponta Delgada. Garanto-vos que em caso de sismo, como foi o da minha terra em 98, no Faial, haverá muitas desgraças. Ainda mais tendo em conta a largura das ruas de Ponta Delgada. Acreditem que depois de ver o estado de degradação de algumas casas, evito passar em algumas ruas.
Acautelem-se e informem-se bem. Ninguém está livre de desgraças naturais.

Na hora de pôr a mesa

Tinha acabado de almoçar quando de repente ocorreu-me que neste maldito ano de 2005 a minha familia ficou com menos 4 membros. Como sou pessoa de ficar a cismar com estas coisas decidi "apanhar o touro pelos cornos" e aceitar a coisa.

Aqui vai um poema de um gajo muito mais rijo e talentoso que eu, que escreve as coisas mais fabulosas do mundo! E apanha sempre o touro pelos cornos.

"Na hora de pôr a mesa


na hora de pôr a mesa, éramos cinco:o meu pai, a minha mãe, as minhas irmãs e eu.
depois, a minha irmã mais velha casou-se.
depois, a minha irmã mais nova casou-se.
depois, o meu pai morreu.
hoje, na hora de pôr a mesa, somos cinco, menos a minha irmã mais velha que está na casa dela, menos a minha irmã mais nova que está na casa dela, menos o meu pai, menos a minha mãe viuva.
cada um deles é um lugar vazio nesta mesa onde como sozinho. mas irão estar sempre aqui.
na hora de pôr a mesa, seremos sempre cinco.
enquanto um de nós estiver vivo, seremos sempre cinco."

José Luís Peixoto

O agente Melo aconselha STOP

Não é coisa que se deixe passar.
Vi ali e quis ter aqui o link disponível para vocês, em particular aos nossos visitantes faialenses e às amigas da casa.
Elbravinha e C-Angel, para vocês que, tal como eu, gostam da escrita desta nossa brava amiga de ilha-> Carla Cook da pág. 50 à 55. Também encontram por lá muita gente conhecida de outras andanças.
Para ti Carla, um grande abraço e fica bem.
Já falta pouco para o nosso cházinho :)

O Sábio da Floresta

O sábio da floresta

A Branca de Neve, o Monstro (da "Bela e o Monstro") e Pinóquio encontram-se na floresta.
- Sou a mais linda do mundo ! - diz Branca de Neve.
- Sou o mais feio do mundo ! - diz o Monstro.
- Sou o maior mentiroso e falso do mundo! - diz Pinóquio.
Eles entram um por um na Grande Caverna, para falar com o Sábio da floresta actual possuidor do Espelho Mágico.
Branca de Neve entra e sai muito feliz... - Sou mesmo a mais linda do mundo!
O monstro entra e sai sorridente, todo satisfeito... - Sou o mais feio do mundo, viva!
Pinóquio entra, mas sai enfurecido... e pergunta:

- Porra!!! Quem é o SÓCRATES?!?!

domingo, 27 de novembro de 2005

Ora tomem lá!

O Vaticano decidiu impedir os gays de frequentarem os Seminários católicos. Perante a notícia, o Ministério da Educação tratou logo de agir: a partir de agora, vão ser proibidos os crucifixos nas escolas portuguesas.

sábado, 26 de novembro de 2005

Silêncio...

"Há momentos na vida em que se deveria calar e deixar que o silêncio falasse ao coração, pois há emoções que a linguagem não expressa e sentimentos que as palavras não sabem traduzir..."

O último post da "Estrelinha"

O último post da "Estrelinha Ajuizada" é um doce que vale a pena saborear. Deixo apenas um cheirinho, para vos conduzir até lá...

«E, de repente, quando no início blogar parecia tão fácil como sermos nós próprios, descobrimos afinal que é um casamento com um cônjuge exigente, que quer atenção, mimos, carinho, afecto, novidades, surpresas, prendinhas, jantares íntimos e sexo tórrido todos os dias, no meio da rotina mais banal e ínsipida.»

in http://vermelhofaial.blogspot.com/

quinta-feira, 24 de novembro de 2005

Mr. Bean foi pai!

Objectivos de vida dos portugueses

Cada vez mais os objectivos de vida dos portugueses estão a mudar... agora são outros:
Aos seis anos o objectivo é ter um telemóvel;
Aos 8 é ter uma playstation;
Aos 14 é jogar futebol num clube grande;
Aos 18 é entrar numa universidade no curso de Consultoria sobre visões intermédias em edificios inteligentes mas não muito...;
Aos 22 é arranjar um emprego na função publica;
Aos 27 é casar com uma gaja boa;
Aos 30 é divorciar-se;
Durante os 30 é andar a curtir a vida;
Aos 40 é casar com uma moça que não chateie muito a cabeça;
Aos 55 é pedir a reforma antecipada;
Nos 60 é cuidar dos netos;
Aos 80 é candidatar-se a Presidente da Republica.*

*email

Acho que nós, as mulheres, temos umas fasquias de objectivos bem mais elevadas... penso eu de que... ;)

terça-feira, 22 de novembro de 2005

Pedido de Ajuda

"A menina chama-se Inês Pascoal.
No passado mês de Outubro de 2005 foi-lhe diagnosticado um tumor na cabeça.
Encontra-se desde o dia 12 de Outubro em Lisboa, no IPO a fazer tratamentos.
A mãe da Inês – Cláudia Madruga da Rosa Pascoal, é minha irmã.
Estou desta forma a procurar ajuda, no sentido da Inês poder continuar a fazer os tratamentos que são necessários.
Como sabem, a ajuda que o Estado dá não chega.
Peço-lhe desta forma e encarecidamente, se for possível, que ajude a minha sobrinha nesta fase da sua vida.
Conto com a vossa ajuda."

O NIB da conta é 003300004529261536405
ou contactem:

Maria Natália da Silva Madruga da Rosa
Fernandega, n.º 3
Praia do Almoxarife
9900-452 Praia do Almoxarife

Horta

quinta-feira, 17 de novembro de 2005

Dia Mundial da Filosofia


Para assinalar a ocasião, os alunos em regime de seminário da licenciatura em Filosofia, prepararam vários ateliers de actividades interactivas na Aula Magna com o objectivo de «exteriorizar» ou «secularizar» a Filosofia. No fundo, trazê-la para fora de portas. Durante todo o dia a Universidade dos Açores recebeu turmas do secundário, que - segundo os testemunhos deixados por escrito e recolhidos in loco (também pela minha pessoa) - adoraram a iniciativa e ficaram com outra ideia do que pensavam ser a Filosofia.
Filosofia é Vida, é uma forma de Ser, de Se estar.
Esta é a minha definição da ciência mãe.
Os meus parabéns a todos os envolvidos, professores e alunos, e que a iniciativa seja para repetir.

Precisa-se de matéria prima para construir um País

A crença geral anterior era de que Santana Lopes não servia, bem como Cavaco, Durão e Guterres. Agora dizemos que Sócrates não serve. E o que vier depois de Sócrates também não servirá para nada. Por isso começo a suspeitar que o problema não está no trapalhão que foi Santana Lopes ou na farsa que é o Sócrates.
O problema está em nós. Nós como povo. Nós como matéria prima de um país.
Porque pertenço a um país onde a ESPERTEZA é a moeda sempre valorizada, tanto ou mais do que o euro. Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada do que formar uma família baseada em valores e respeito aos demais. Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nos passeios onde se paga por um só jornal E SE TIRA UM SÓ JORNAL, DEIXANDO-SE OS DEMAIS ONDE ESTÃO.
Pertenço ao país onde as EMPRESAS PRIVADAS são fornecedoras particulares dos seus empregados pouco honestos, que levam para casa, como se fosse correcto, folhas de papel, lápis, canetas, clips e tudo o que possa ser útil para os trabalhos de escola dos filhos ... e para eles mesmos.
Pertenço a um país onde as pessoas se sentem espertas porque conseguiram comprar um descodificador falso da TV Cabo, onde se frauda a declaração de IRS para não pagar ou pagar menos impostos.
Pertenço a um país onde a falta de pontualidade é um hábito. Onde os directores das empresas não valorizam o capital humano. Onde há pouco interesse pela ecologia, onde as pessoas atiram lixo nas ruas e depois reclamam do governo por não limpar os esgotos. Onde pessoas se queixam que a luz e a água são serviços caros. Onde não existe a cultura pela leitura (onde os nossos jovens dizem que é "muito chato ter que ler") e não há consciência nem memória política, histórica nem económica. Onde os nossos políticos trabalham dois dias por semana para aprovar projectos e leis que só servem para caçar os pobres, arreliar a classe média e beneficiar alguns.
Pertenço a um país onde as cartas de condução e as declarações médicas podem ser "compradas", sem se fazer qualquer exame. Um país onde uma pessoa de idade avançada, ou uma mulher com uma criança nos braços, ou um inválido, fica em pé no autocarro, enquanto a pessoa que está sentada finge que dorme para não lhe dar o lugar. Um país no qual a prioridade de passagem é para o carro e não para o peão. Um país onde fazemos muitas coisas erradas, mas estamos sempre a criticar os nossos governantes.
Quanto mais analiso os defeitos de Santana Lopes e de Sócrates, melhor me sinto como pessoa, apesar de que ainda ontem corrompi um guarda de trânsito para não ser multado. Quanto mais digo o quanto o Cavaco é culpado, melhor sou eu como português, apesar de que ainda hoje pela manhã explorei um cliente que confiava em mim, o que me ajudou a pagar algumas dívidas.
Não. Não. Não. Já basta.
Como "matéria prima" de um país, temos muitas coisas boas, mas falta muito para sermos os homens e as mulheres que o nosso país precisa. Esses defeitos, essa "CHICO-ESPERTICE PORTUGUESA" congénita, essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui até se converter em casos escandalosos na política, essa falta de qualidade humana, mais do que Santana, Guterres, Cavaco ou Sócrates, é que é real e honestamente má, porque todos eles são portugueses como nós, ELEITOS POR NÓS. Nascidos aqui, não noutra parte... Fico triste. Porque, ainda que Sócrates se fosse embora hoje, o próximo que o suceder terá que continuar a trabalhar com a mesma matéria prima defeituosa que, como povo, somos nós mesmos. E não poderá fazer nada...
Não tenho nenhuma garantia de que alguém possa fazer melhor, mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá. Nem serviu Santana, nem serviu Guterres, não serviu Cavaco, e nem serve Sócrates, nem servirá o que vier. Qual é a alternativa? Precisamos de mais um ditador, para que nos faça cumprir a lei com a força e por meio do terror? Aqui faz falta outra coisa. E enquanto essa "outra coisa" não comece a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados, ou como queiram, seguiremos igualmente condenados, igualmente estancados....igualmente abusados!
É muito bom ser português. Mas quando essa portugalidade autóctone começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, então tudo muda... Não esperemos acender uma vela a todos os santos, a ver se nos mandam um messias. Nós temos que mudar. Um novo governante com os mesmos portugueses nada poderá fazer. Está muito claro... Somos nós que temos que mudar.
Sim, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda a acontecer-nos: desculpamos a mediocridade de programas de televisão nefastos e francamente tolerantes com o fracasso. É a indústria da desculpa e da estupidez.
Agora, depois desta mensagem, francamente decidi procurar o responsável, não para o castigar, mas para lhe exigir (sim, exigir) que melhore o seu comportamento e que não se faça de mouco, de desentendido.
Sim, decidi procurar o responsável e.... ESTOU SEGURO DE QUE O ENCONTRAREI QUANDO ME OLHAR NO ESPELHO. AÍ ESTÁ. NÃO PRECISO PROCURÁ-LO NOUTRO LADO. E você, o que pensa?.... MEDITE!
Eduardo Prado Coelho - in Público
(recebido por email, não sei de que dia do Público foi.)

quarta-feira, 16 de novembro de 2005

Provérbios requintados :)

Expõe-me com quem deambulas e a tua idiossincrasia augurarei.
(Diz-me com quem andas e te direi quem és)

Espécime avícola na cavidade metacárpica, supera os congéneres revolteando em duplicado.(Mais vale um pássaro na mão, que dois a voar)

Ausência de percepção ocular, insensibiliza órgão cardial.
(Olhos que não vêem, coração que não sente)

Equídeo objecto de dádiva, não é passível de observação odontológica.
(A cavalo dado não se olham os dentes)

O globo ocular do proprietário torna obesos os bovinos.
(O olho do amo engorda o gado)

Idêntico ascendente, idêntico descendente.
(Tal pai, tal filho)

Descendente de espécime piscícola sabe locomover-se em líquido inorgânico.
(Filho de peixe sabe nadar)

Pequena leguminosa seca após pequena leguminosa seca atesta a capacidade de ingestão de espécie avícola.
(Grão a grão enche a galinha o papo)

Tem o monarca no baixo ventre
(Tem o rei na barriga)

Quem movimenta os músculos supra faciais mais longe do primeiro, movimenta-os substancialmente em condições excepcionais.
(Quem ri por último ri melhor)

Quem aguarda longamente, atinge o estado de exaustão.
(Quem espera desespera)

Os jornais que os faialenses merecem II

Ao folhear os jornais faialenses, coisa que faço frequentemente, vejo mais do que os defeitos de um produto com falhas. Vejo muito mais do que a incapacidade dos jornalistas locais para lidarem com os problemas de uma terra pequena e com um mercado limitado. Vejo sobretudo que os leitores e colaboradores se renderam ao conformismo.

É mais fácil lutar pelo seu próprio conforto do que defender as causas dos outros e essa é a única razão que vejo para que a maioria dos leitores faialenses tenha descuidado a intervenção pública, que se quer pertinente e acutilante quante baste.

Sem colaboradores regulares de qualidade e sem compradores fiéis, não há força de vontade que aguente uma redacção a lutar eternamente contra os desvarios da maré, que teima em trazer nas suas ondas o lixo que todos rejeitaram. E isso também se vê nas primeiras páginas!

História de amor que acaba mal

Comecei por pensar em dar um bocadinho de poesia ao blog, depois da minha grande ausência....mas devo ainda andar com os restos do MTV European Music Awards no Pavilhão Atlântico por isso decidi-me por isto.................................

Adoro quando um homem despe a roupinha toda e atira-se ao mar só porque viu uma bimba qualquer no metro entre a estação do Colégio Militar-Luz e o Marquês de Pombal!

Só se safa porque fala em anjos!!!!!!!


"My life is brilliant.
My love is pure.
I saw an angel.
Of that I'm sure.
She smiled at me on the subway.She was with another man.
But I won't lose no sleep on that,'Cause I've got a plan.
You're beautiful. You're beautiful.You're beautiful, it's true.
I saw your face in a crowded place,And I don't know what to do,'Cause I'll never be with you.
Yeah, she caught my eye,
As we walked on by.
She could see from my face that I was,F*cking high,
And I don't think that I'll see her again,But we shared a moment that will last till the end.
You're beautiful. You're beautiful.You're beautiful, it's true.
I saw your face in a crowded place,And I don't know what to do,'Cause I'll never be with you.
You're beautiful. You're beautiful.You're beautiful, it's true.
There must be an angel with a smile on her face,When she thought up that I should be with you.
But it's time to face the truth,

I will never be with you."

J.B.

Dia do Mar




Pode consultar a página oficial aqui


...e as actividades nos Açores aqui

terça-feira, 15 de novembro de 2005

Os jornais que os faialenses merecem

Depois de ler os inúmeros comentários sobre a ausência dos jornais faialenses da Internet e os problemas da imprensa faialense, achei que o assunto merecia um novo desenvolvimento, porque o assunto tem contornos mais profundos do que possa parecer à primeira vista.

Pelo que a experiência profissinal me permitiu conhecer do mercado faialense e dos bastidores dos três jornais faialenses, não tenho dúvidas em dizer que o principal problema dos jornais faialenses é falta de verbas para tudo. Mas apesar de ser o mais importante, não é o único grande problema.

Talvez dois jornais diários e um semanário sejam demais para um público limitado a uma ilha com pouco mais de 15 mil habitantes, mas esse público tornou-se ainda mais limitado no momento em que desinteressou da vida do burgo e passou a olhar exclusivamente para o seu próprio umbigo, que é como quem diz para os seus próprios interesses, sejam eles políticos ou financeiros.

Quem vê de fora os jornais, não sabe que há muitos que alugam o espaço de publicidade da imprensa faialense e depois não pagam o que devem. E se os jornais não recebem a publicidade que vendem, também não podem pagar a tempo e horas aos seus fornecedores e jornalistas. E se não pagam a tempo e horas, a credibilidade perde-se e a motivação para o trabalho acaba por desaparecer.

Entramos, portanto, num círculo vicioso que é muito difícil de quebrar. Ciclo este que ainda é reforçado por outros pequenos problemas, como os provocados pelos que exigem que se noticie as actividades de uma empresa ou instituição, a que se juntam os que retiram a publicidade ou desistem da assinatura de um jornal quando são alvos da mais pequena crítica.

Quando o mercado é pequeno, as alternativas não são muitas, e por mais que as pessoas pensem que é muito fácil pôr um jornal na rua, está provado que um jornal de qualidade não sobrevive sem dinheiro.

Ao criticar-se a ausência dos jornais na Internet, é preciso olhar para o outro lado também. É verdade que a Web pode ser um bom meio de publicitar os títulos, mas também pode ajudar a afundá-los. Não só porque os leitores têm tendência a deixar de comprar o jornal se o puderem ler online (ainda que só as notícias principais), mas também porque é precisar pagar a manutenção e a actualização da página na Internet.

Por mais barato que seja ter um jornal online, não podemos esquecer que todos os tostões contam para a sobrevivência dos pequenos. E, neste caso, a sobrevivência dos três jornais parece ser já um jogo de vida ou morte, cujo desfecho pode não demorar muito a ser conhecido.

Na verdade, esse desfecho corre mesmo o risco de ser acelarado pela nova lei de apoio à comunicação social que o Governo Regional vai aprovar. Ao acabar com grande parte dos apoios à imprensa açoriana, Carlos César vai fechar a porta a muitos jornais pequenos. Resta saber se os faialenses conseguirão manter a sua aberta. E até quando!

Parabéns à Secundária da Horta!

A Escola Secundária Manuel de Arriaga venceu o primeiro prémio do concurso nacional de jornais escolares, com o jornal “Arauto”. O prémio diz respeito à categoria de escolas secundárias e profissionais e só prova que, quando se aplicam a sério, os nossos faialenses podem chegar ao topo. O título “Arauto” é já uma marca da escola, de tão velhinho que é, mas este prémio só significa que se pode renovar o que é antigo sem perder a identidade e, sobretudo, a qualidade.
O concurso em questão foi organizado pelo jornal “Público” e pelo Ministério da Educação e é, sem dúvida, uma excelente forma de promover a escrita, a criativadade e o sentido crítico dos nossos jovens estudantes. Se continuarem assim, pode ser que a imprensa faialense volte a ter razões para se orgulhar.

quinta-feira, 10 de novembro de 2005

quarta-feira, 9 de novembro de 2005

Ratix

Adoptámos um rato.
Não havia uma vaca.
Podem brincar aí à vossa direita com o bicho.
hehe.

É preciso é...


... força de vontade!

Jornais online

Estou furiosa.
Como é que é possível que o Faial não tenha um jornal online que seja?!?!
Não é de agora, sempre que me lembro vou ver se alguém já tratou do assunto, mas nada.
Houve quem já tivesse. Enfim.

terça-feira, 8 de novembro de 2005

Depois dos 30...

«Para todas as mulheres com mais de 30 anos... e para aquelas que têm medo de entrar nos 30... e para os homens que têm medo das mulheres com mais de 30!
À medida que vou envelhecendo, valorizo cada vez mais as mulheres com mais de 30 anos. Estas são apenas algumas das razões porque o faço:
- Uma mulher com mais de 30 nunca te acordará a meio da noite para perguntar "Em que é que estás a pensar?". Ela não se importa com o que tu pensas.
- Se uma mulher com mais de 30 não quer ver o jogo de futebol, não se senta a teu lado a lamentar-se. Ela faz alguma coisa que queira fazer. E, geralmente,é algo mais interessante.
- Uma mulher com mais de 30 conhece-se suficientemente bem a si própria para estar certa de quem é, o que quer e de quem o quer. Poucas mulheres com mais de 30 anos ligam alguma ao que tu possas estar a pensar sobre ela ou sobre oque ela está a fazer.
- As mulheres acima dos 30 têm dignidade. Raramente terão uma discussão aos gritos contigo na ópera ou no meio de um restaurante chique. No entanto, claro, se tu mereceres, não hesitarão em dar-te um tiro.
- As mulheres mais velhas são generosas nos elogios, muitas vezes não merecidos. Elas sabem o que é não ser apreciado.
- Uma mulher acima dos 30 tem segurança suficiente para te apresentar às amigas. Uma mulher mais nova acompanhada de um homem ignora frequentemente até a melhor amiga porque não confia no homem perto de outra mulher. Uma mulher com mais de 30 não se podia estar mais nas tintas se tu te vais sentir atraído pelas amigas dela, não porque confie em ti, mas porque sabe que elas não a trairão.
- As mulheres tornam-se psíquicas à medida que envelhecem. Nunca terás que confessar os teus pecados a uma mulher com mais de 30. Elas sabem sempre.
- Uma mulher com mais de 30 fica bem a usar um batom vermelho brilhante. O mesmo não se aplica às mulheres mais novas.
- Depois de ultrapassares uma ou outra ruga, vais ver que uma mulher com mais de 30 é de longe mais sexy do que qualquer colega mais nova.
- As mulheres mais velhas são correctas e honestas. Dizem-te imediatamente que és um idiota se te estiveres a comportar como tal. Nunca tens que tentar adivinhar em que pé estão as coisas entre vocês.
- Sim, nós elogiamos a mulher com mais de 30 por várias razões.
Infelizmente, não é recíproco.
Por cada mulher bela, inteligente, segura e sexy com mais de 30 anos, existe um careca, barrigudo, em calças amarelas a fazer figura de parvo com uma empregada de mesa de 22 anos.»

Escrito por Andy Rooney, apresentador do programa da CBS "60 Minutes".

*Já tinha lido isto por aí, mas como sei que as minhas amigalhaças não são de grandes navegações, deixo-vos o texto, em particular para as já trintonas, hehe.

Já consigo

Depois de problemas em entrar no blog, já consigo!!!

Esta mensagem é para o gadobravo......

BJS

domingo, 6 de novembro de 2005

Adeus Casas de Cultura!

O Governo Regional dos Açores aprovou um diploma que extingue as Casas de Cultura de São Miguel, Terceira, Faial e Pico, cujas competências deverão passar para os Museus e Bibliotecas Públicas da Região. O mesmo diploma extingue ainda o Centro de Estudo, Conservação e Restauro dos Açores, bem como o Gabinete da Zona Classificada de Angra do Heroísmo.

Que estas mudanças são uma boa forma do executivo cortar nas despesas, ninguém dúvida. De uma assentada só, o Governo de César faz desaparecer cinco lugares de director, um lugar de director de serviços e 28 lugares em várias carreiras ou categorias, criando no seu lugar apenas um subdirector-geral. Pelo menos, para já!

Resta saber se estas medidas vão servir para agilizar verdadeiramente a cultura nos Açores ou se, pelo contrário, vão ajudar a agilizar rapidamente o seu desaparecimento...

Aceitam-se palpites!

sábado, 5 de novembro de 2005

Outro Estudo Relevante

AGUA OU VINHO??

Foi comprovado que se beberes mais de 1 litro de água por dia, durante 1 ano, no final do ano terás ingerido mais de 1 quilograma de coliformes fecais que estão diluídos na água, ou seja, 1 quilo de MERDA!!!
Já bebendo vinho... não se corre esse risco uma vez que esses coliformes não sobrevivem ao processo de fermentação. ´
Por isso peço que comuniques a todos os que bebem água, que esse líquido faz mal. Está dado o alerta!
Quem tiver consciência vai chegar à conclusão de que: "É muito melhor beber vinho e dizer merdas, do que beber merda e não dizer nada".

quarta-feira, 2 de novembro de 2005

Estudo Médico Importante!

Atenção ...

a) No Japão são consumidas muito poucas gorduras e o índice de ataques cardíacos é menor do que na Inglaterra e nos EUA;

b) Por outro lado, na França consomem-se muitas gorduras e, ainda assim, o índice de ataques cardíacos é menor do que na Inglaterra e nos EUA;

c) Na China, bebe-se pouco vinho tinto e o índice de ataques cardíacos é menor do que na Inglaterra e nos EUA;

d) Na Espanha, bebe-se muito vinho tinto e o índice de ataques cardíacos é menor do que na Inglaterra e nos EUA;

e) Na Argélia, f***-se muito pouco e o índice de ataques cardíacos é menor do que na Inglaterra e nos EUA;

f) No Brasil, f***-se muito e o índice de ataques cardíacos é menor do que na Inglaterra e nos EUA;

CONCLUSÃO: Beba, coma e f*** à vontade, pois o que mata é falar inglês!!!

domingo, 30 de outubro de 2005

A gripe das televisões...

Por estes dias, a minha avó, preocupada com a minha saúde, recomendou-me que tivesse cuidado com o frio. Eu, que tinha acabado de curar uma faringite, tratei de a descansar dizendo que não se preocupasse, que já estava bem, e que até nem estava muito frio na rua. Ainda nem terminara de falar, quando a minha avó reforçou o seu conselho com um novo argumento: “Cuidado com o frio, olha que anda aí a gripe das aves!”.

Perante tão absurdo conselho, não pude deixar de largar uma sonora gargalhada. Para não ofender a minha avó, que percebe muito mais de aves do que eu, tratei de a tranquilizar, explicando que a gripe das aves não se apanha através do frio. Mas a verdade é que a minha avó, tal como grande parte da população deste país, ainda nem percebeu bem o que é a gripe das aves, quanto mais que a doença se apanha por contacto com aves infectadas. E eu, que já estou farta de ouvir falar no fenómeno, precisei de ouvir as suas palavras para me aperceber do nível de informação que as nossas televisões têm transmitido.

A gripe das aves faz a abertura dos telejornais, mas o conteúdo das notícias é tão bom que a minha avó, que vê religiosamente o telejornal e toda a vida teve galinhas na sua quinta, nem sequer tinha percebido que a gripe das aves não se apanha pelo frio...

quinta-feira, 27 de outubro de 2005

Para as minhas queridas amigas bravas.

Gripe das Aves

*Lembro que penso ser hoje que se debate o problema no «Estado da Região»... e já agora, para relaxar, não deixem de ir ao Objectos.

Mais um pato bravo...

Recebido por email. Não sei se é de fonte segura, nem fui confirmar se os dados estão correctos, mas a sê-lo... é estupidamente grave.

"APESAR de ter apenas 50 anos de idade e de gozar de plena saúde, o socialista Vasco Franco, número dois do PS na Câmara de Lisboa durante as presidências de Jorge Sampaio e de João Soares, está já reformado.

A pensão mensal que lhe foi atribuída ascende a 3.035 euros (608 contos), um valor bastante acima do seu vencimento como vereador.

A generosidade estatal decorre da categoria com que foi aposentado - técnico superior de 1ª classe, segundo o «Diário da República» - apesar de as suas habilitações literárias se ficarem pelo antigo Curso Geral do Comércio, equivalente ao actual 9º ano de escolaridade.

A contagem do tempo de serviço de Vasco Franco é outro privilégio raro, num país que pondera elevar a idade de reforma para os 68 anos, para evitar a ruptura da Segurança Social.
O dirigente socialista entrou para os quadros do Ministério da Administração Interna em 1972, e dos 30 anos passados só ali cumpriu sete de dedicação exclusiva; três foram para o serviço militar e os restantes 20 na vereação da Câmara de Lisboa, doze dos quais a tempo inteiro. Vasco Franco diz que é tudo legal e que a lei o autoriza a contar a dobrar 10 dos 12 anos como vereador a tempo inteiro.

Triplicar o salário. Já depois de ter entregue o pedido de reforma, Vasco Franco foi convidado para administrador da Sanest, com um ordenado líquido de 4000 euros mensais (800 contos). Trata-se de uma sociedade de capitais públicos, comparticipada pelas Câmaras da Amadora, Cascais, Oeiras e Sintra e pela empresa Águas de Portugal, que gere o sistema de saneamento da Costa do Estoril. O convite partiu do reeleito presidente da Câmara da Amadora, Joaquim Raposo, cuja mulher é secretária de Vasco Franco na Câmara de Lisboa. O contrato, iniciado em Abril, vigora por um período de 18 meses.A acumulação de vencimentos foi autorizada pelo Governo mas, nos termos do acordo, o salário de administrador é reduzido em 50% - para 2000 euros - a partir de Julho, mês em que se inicia a reforma, disse ao EXPRESSO Vasco Franco.

Não se ficam, no entanto, por aqui os contributos da fazenda pública para o bolo salarial do dirigente socialista reformado. A somar aos mais de 5000 euros da reforma e do lugar de administrador, Vasco Franco recebe ainda mais 900 euros de outra reforma, por ter sido ferido em combate em Moçambique já depois do 25 de Abril (????????), e cerca de 250 euros em senhas de presença pela actuação como vereador sem pelouro.

Contas feitas, o novo reformado triplicou o salário que auferia no activo, ganhando agora mais de 1200 contos limpos. Além de carro, motorista, secretária, assessores e telemóvel."

quarta-feira, 26 de outubro de 2005

Rosa Parks


Activista afro-americana
PELOS DIREITOS CÍVICOS
A negra do Alabama que ousou dizer não.
A recusa em dar o seu lugar no autocarro a um branco ajudou a mudar a história.
Aqui.

terça-feira, 25 de outubro de 2005

Cavaco vs Alegre

Li no Abnóxio:

"Elogio de Cavaco...
Não sou socialista, mas farei campanha por Manuel Alegre e votarei em Manuel Alegre, na primeira e na segunda voltas. E não tenho dúvidas de que a eleição presidencial irá decidir-se, por uma margem de votos muito pequena, entre Cavaco e Alegre. Espero, naturalmente, que o meu candidato vença, mas reconheço que, hoje, Cavaco é um opositor de peso, muito mais do que o foi em 1996. Cavaco é um tipo sério e que, de uma forma consistente, transmite a imagem de alguém que, genuinamente, acredita no que está a dizer. De Soares, ninguém poderá, em consciência, afirmar o mesmo.Apesar de ser apoiado por uma turbamulta de deserdados do regime, que esperam há muito tempo a oportunidade de um ajuste de contas, não tenho dúvidas de que Cavaco é confiável como Presidente da República. Tenho a certeza de que, em condições normais, cumprirá e fará cumprir a Constituição da República, procurando garantir o regular funcionamento das instituições democráticas. E estou convencido de que agirá sempre com lisura, honrando o compromisso de preservar a "estabilidade". De Soares, ninguém poderá, em consciência, afirmar o mesmo.O que me separa de Cavaco é tudo o mais: a frieza tecnocrática, a cultura light, a pose académica e magistral, o discurso acaciano, quadrado e conformista. É formalmente confiável, mas não inspira paixão - e, na presente conjuntura, os portugueses precisam, politicamente, de se apaixonar, de acreditar numa causa, de voltar a sonhar.Eis a razão principal por que apoio Manuel Alegre. Talvez ele não perceba muito de economia e de finanças, mas tem biblioteca e fala como se o país mais secreto e antigo falasse com ele. Ele faz-me reconciliar com a grandeza da história de Portugal e esse é, sem dúvida, o seu grande trunfo. Se o souber jogar, ganhará."

Ora bem, não vou votar Alegre, mas sim Cavaco pelas mesmas razões acima ditas. Não creio que haja necessidade de paixões ou de sonhos, ou de tão perto, sussurros secretos ao ouvido para o bem dos portugueses. Talvez seja esse o nosso mal. Querermos viver de paixões em vez de usarmos mais a razão.
Pois seja. Vão sonhando, lendo poemas e rezando a Deus, que as vossas utopias aparecem de certeza por obra do Espírito Santo.
Hellooooo... D. Sebastião não volta...!
Por outro lado, também não vou ficar muito triste se Alegre ganhar. Não desgosto do homem apesar de achar que não seja cargo para ele (sinceramente também não me apetece ver tudo PS), e assim, dou-lhe o benefício da dúvida. Tudo menos Soares.
Deixo inclusivé o blog de campanha de Alegre, só para não dizerem que não sou democrata. ;)
Boas reflexões e bons votos.

segunda-feira, 24 de outubro de 2005

Uma bloquista para Soares

Alguém me explica porque é que Mário Soares, candidato assumido do PS às próximas eleições presidenciais, escolheu uma mandatária para a juventude que é tão só deputada do Bloco de Esquerda? Será que o partido está tão velho como ele próprio, que nem sequer consegue gerar sangue novo? Ou será que nem aos 80 anos ele resiste à tentação de dar um pulinho fora da cerca?

Deduções ... e Complicações

Sherlock Holmes e Dr. Watson vão acampar.
Montam a barraca e, depois de uma boa refeição e uma garrafa de vinho,deitam-se para dormir.
Algumas horas depois, Holmes acorda e diz ao seu fiel amigo:
- Meu caro Watson, olhe para cima e diga-me o que vê.
Watson responde:
- Vejo milhares e milhares de estrelas.
Holmes, então, pergunta:
- E o que é que isso significa?
Watson pondera por um minuto, depois enumera:
- 1) Astronomicamente, significa que há milhares e milhares de galáxias e,potencialmente, biliões de planetas; - 2) Astrologicamente,observo que Saturno está em Leão e teremos um dia de sorte; - 3) Temporalmente, deduzo que são aproximadamente 3h15 pela altura em que se encontra a Estrela Polar; - 4) Teologicamente, posso ver que Deus é todo poderoso e somos pequenos e insignificantes;- 5) Meteorologicamente, suspeito que teremos um lindo dia amanhã.Correcto?
Holmes fica um minuto em silêncio;então responde:
- Watson, seu imbecil! Significa apenas que alguém roubou a nossabarraca"!!!

"A VIDA É SIMPLES, NÓS É QUE TEMOS A MANIA DE COMPLICAR"

(recebi este mail de uma complicadinha alegre como eu própria... eh eh eh)

sábado, 22 de outubro de 2005

Dignidade Humana


"No reino dos fins, tudo tem um preço ou uma dignidade. Quando uma coisa tem um preço, pode pôr-se, em vez dela, qualquer outra coisa como equivalente; mas quando uma coisa está acima de todo o preço, e portanto não permite equivalente, então ela tem dignidade"
Kant
... ou simplesmente naveguem por lá: http://www.cnecv.gov.pt/ , reparem que temos nesta comissão «prata da casa» e, na minha humilde opinião, de maior valor.

IRS

Caros,
Se abrirem actividade e a fecharem depois, sem ter facturado, seja por que motivo for... nunca sejam honestos e não coloquem lá zeros. O sistema assume automaticamente os valores mínimos e pagam IRS na mesma.
"É uma situação particular" - diz-me o homem - "ãh ham..." - digo eu.
Para a próxima resolvemos doutra forma as particularidades.

quinta-feira, 20 de outubro de 2005

Bem vinda Isabelinha!






Já nasceu a Isabelinha!!!!
Tem 3700 kgs e é lindaaaaaaa como a sua mãe :)
Parabéns amiga querida!

terça-feira, 18 de outubro de 2005

Professores do quadro de honra

“Quando há dias me perguntaram quais as pessoas que mais influenciaram a minha vida, não pude deixar de pensar em duas professoras que, sem saber, me marcaram para sempre: Maria Vasconcelos e Natália Lemos.
Foram ambas professoras na Escola Primária Coronel Silva Leal, que nos anos 80 era um exemplo de bom ensino e referência obrigatória para qualquer candidato a professor na Escola do Magistério Primário da Horta. Mas os seus métodos de ensino eram tão diferentes quanto as suas personalidades, o que só engrandeceu os alunos que passaram pelas suas mãos.
A primeira, Maria Vasconcelos, foi quem me ensinou a escrever e me despertou para a leitura. Mas a verdade é que nos dois primeiros anos da escola primária me deu muito mais do que as bases do portugês e da matemática. O seu coração generoso deixou-me para a vida ensinamentos sem preço, que dificilmente poderiam caber nas linhas de um parágrafo, ou sequer de uma crónica.
Quando, no final do meu segundo ano, Mariazinha Vasconcelos (como carinhosamente ainda é conhecida no Faial) se reformou, a turma separou-se. Metade da classe trocou a Escola Primária Coronel Silva Leal pela nova primária da cidade e a outra metade, em que eu me incluía, passou para as mãos da professora Natália Lemos. Parecia o fim do paraíso, mas a nova professora depressa nos mostrou a outra dimensão da escola, onde o saber ultrapassava o programa escolar.
Em conjunto com o marido, Alberto Lemos – também ele professor naquela escola – provou-nos que a educação não se limita ao manual escolar. Aquele casal gastou o seu tempo e vida pessoal a preparar espectáculos, a escolher músicas e peças para ensinar aos seus alunos. Poucos terão passado pelas suas mãos sem aprender que estudar também é dançar o nosso folclore tradicional, recitar um poema ou representar uma cena de teatro. Tal como poucos terão saído das mãos de Mariazinha Vasconcelos sem saber que o esforço e a dedicação podem suplantar o talento mal aproveitado.
Professores como estes são raros hoje. Não porque não existam, mas porque lhes falta “tempo” e “espaço” para ensinarem as lições que não vêm no manual escolar. E que os alunos só aprenderão se quem os ensina se puder dedicar ao ensino de corpo e alma, em vez de andar preocupado com a ausência da família ou as duas rendas de casa para pagar no fim do mês.”

Lídia Bulcão, in Jornal dos Açores de 18-10-2005

Existe um país...

... onde um cidadão de 81 anos depois de ter cumprido 10 anos de mandato como Presidente da República, e de ter estado 10 anos de molho, decide candidatar-se novamente para salvar o país de um fantasma, passando por cima de um amigo de longa data.
Existe um país onde três candidatos autárquicos que acabam de vencer as eleições, estão indiciados por processos fraudulentos e uma outra candidata, a candidata com mandato de prisão emitido e foragida no Brasil, tem toda a cidade a saudando-a tal qual D.Sebastião.
Existe um país onde o único escritor galardoado com o prémio nobel da Literatura vive no país vizinho.
Existe um país de onde é oriundo aquele que é considerado o melhor treinador de futebol da actualidade, cujo seleccionador nacional é estrangeiro.
Existe um país onde o maior sucesso nacional do ano é um disco de originais de um músico que morreu há quinze anos.
Existe um país onde os dois guarda-redes da selecção nacional são suplentes de dois guarda-redes da mesma nacionalidade nos respectivos clubes.
Existe um país onde o nome da mascote do principal evento desportivo alguma vez organizado começa por uma letra (k) que não faz parte do seu alfabeto.
Esse país estranho é o meu país.
Esse país só gosta dele próprio e da sua bandeira quando vem alguém de fora jurar a pés juntos que somos bons.

segunda-feira, 17 de outubro de 2005

domingo, 16 de outubro de 2005

100 euros...?


Isto a ser verdade - mesmo que legal (não faço ideia se o é ou não) - enoja-me profundamente. Como é que alguém pode ter esta brilhante ideia, não «adivinhando» de antemão que envergonha todos aqueles que representa, e até mesmo quem é militante doutras paragens?
Ainda por cima acabo de ver os disparates dos "fariseus" recém-eleitos e possíveis corruptos no «Nós por cá» da SIC.
Mais palavras para quê...? Factos são factos, e esta situação actual é indecente demais para ser contornável.
*imagem retirada do Ardemares

terça-feira, 11 de outubro de 2005

Mais do mesmo

Falando mais um pouco em ética política.
Não sou expert, mas posso dizer do pouco que sei.
Ética política é ter respeito pelos outros como pessoas que são, como nossos semelhantes com os mesmos direitos, o que implica saber refutar as suas ideias sem que se entre em cinismos ou guerrilhas que se sabem de antemão não levar a lado nenhum (isso não será uma con-versa, mas sim uma afirmação ou negação apriori do que o outro poderá ter para dar), ou seja, não é sinónimo de chamar nomes e tirar olhos aos outros «amigavelmente».
Ética política é ser-se correcto ou coerente/congruente em relação ao que nos propusemos, não é sinónimo de manipulação ou de maquiavelismo. Até o utilitarismo de Stuart Mill era ético.
Ética política é saber usar a liberdade de expressão ou de acção sem que se caia em libertinagem ou demagogia, pede-se consciência social. Em sociologia chamam a isto «densidade social» que é o grau de unidade material e moral duma sociedade, medida, ao mesmo tempo, pela concentração da população e pelo número de indivíduos que vivem a vida moral comum.
Ética política é não usar o argumento falacioso «Ad Hominem» que significa que quando, em vez de se procurar refutar a verdade de uma asserção, se ataca a pessoa que a faz. Explico, aqueles que utilizam o ataque ofensivo «Ad Hominem» procuram desacreditar ideias desacreditando a pessoa que as tem. O facto de um ataque falacioso com estas características ser despoletado por uma pergunta não falaciosa não altera em nada, como não alteraria mesmo que esta o fosse.
Há valores, meus caros, que por mais que se adulterem com as modas e/ou por consequência da época, acabam sempre por vir ao de cima, e em política uma carreira é construída sobre eles.
É uma escada que tem degraus de manteiga, até porque não há poder que dure para sempre, o poder é efémero.

Passatempo

O Rei Tut morreu 120 anos depois do Rei Eros.
As suas idades somadas dão 100 anos.
O Rei Eros morreu em 40 a.C..
Em que ano nasceu o Rei Tut?

*Dá-se apoio moral, palmadinhas nas costas e sobe-se o ego a quem descobrir a solução.

segunda-feira, 10 de outubro de 2005

Ser Feliz

"Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não". É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta. Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo..."


(Fernando Pessoa)

Ética Política

Muito se falou dela depois das eleições... quando se deveria ter falado nela antes.
Já que a preocupação parece ser geral (e porque, para variar, se espera pelas asneiras cimentadas para depois se fazer alguma coisa), aconselhava todos os interessados na matéria a procurar o significado dos dois termos e a sua relação.

domingo, 9 de outubro de 2005

SOS -----> RTP-A online

Fui ao http://www.acores.net/rtp/online.php a ver se via a RTP-A online, mas não consigo... e também já fiz o download do Real Player.
Se alguém conseguir ver alguma coisa, agradecia que me dissesse, só para eu saber se o problema é deles ou do meu pc.
(antes das 19horas dava jeito)
:)

sexta-feira, 7 de outubro de 2005

O pacotinho da D. Beatriz.....

Ola amigas e companheiras de pasto, espero que gostem da historia da D. Beatriz e do seu pacotinho...eheheheh!!!!

A D. Beatriz, organista numa igreja, tem 80 anos e é solteira. Era admirada por todos pela sua simpatia e doçura. Uma tarde, convidou o novo padre da igreja para ir lanchar a sua casa e ele ficou sentado no sofá, enquanto ela foi preparar um chá. Olhando para cima do órgão, o jovem padre reparou numa jarra de vidro com água e, lá dentro, boiava um preservativo. Quando a D.
Beatriz voltou com ochá e as torradas, o padre não resistiu a tirar a sua curiosidade perguntando o porquê de tal decoração em cima do órgão. E responde ela apontando para a jarra: "Ah! refere-se a isto? Maravilhoso, não é? Há uns meses atrás, ia eu a passear pelo parque, quando encontrei este pacotinho no chão. As indicações diziam para colocar no órgão,manter húmido e que, assim, ficava prevenida contra todas as doenças. E sabe uma coisa?
Este Inverno ainda não me constipei".

Saudinha!!!!!!!!!!!! E Bom Fim-De-Semana!!
Nao se esqueçam de VOTAR!!!!

razões mais que suficientes para ser do BENFICA

1. Uma razão natural

A mulher dá à LUZ, não às Antas e nem a Alvalade...


2. Uma razão teológica
Jesus Cristo encarnou, não azulou nem esverdeou...

3. Uma razão bíblica
Está escrito "dominarei os leões e dragões e voarei para o céu nas asas de uma águia"

foi-me enviado por e-mail e é totalmente dedicado ao João Martins... ;)

quinta-feira, 6 de outubro de 2005

Su Doku

Image hosted by Photobucket.com

Muito se tem falado e feito Su Doku, principalmente para os leitores do Público, onde tudo começou.

Sudoku, por vezes escrito Su Doku, (sūdoku) foi originalmente criado por um médico suiço no séc. XVIII.

Jogo de raciocínio, tem-se o objectivo de colocar números de 1 a 9 em cada uma das células vazias numa grelha de 9×9, constituída por 3×3 subgrelhas chamadas regiões. Cada coluna, linha e região só pode ter um número de cada um dos 1 a 9. Resolver o problema requer (apenas) raciocínio lógico e algum tempo. O que se quer dizer é que para se ser bem sucedido no Sudoku não são necessários conhecimentos prévios - só mesmo tempo, paciência e perseverança. Ah, e tem níveis de realização: fácil, médio e complexo. Dizem que é viciante. O que, a ser verdade, atesta que a simplicidade também faz quebra-cabeças...

«Nenhum leitor ainda não contagiado deve sequer passar os olhos por um sudoku. É que no sudoku escondem-se o vício e a loucura. Os sudokus são para os primeiros anos do século XXI o que o cubo de Rubik foi para os anos 70: uma obsessão que nos apaixona a todos.» TOM UTLEY, Daily Telegraph

Sudoku Online PT; SudokuPlus Top; Sudoku Top 50; Sudoku Links;

Não será assim?

"Quando vejo um homem ser aplaudido pela multidão, sinto pena dele. Tudo o que ele necessita para ser vaiado é viver tempo suficiente"

H.L. Mencken

quinta-feira, 29 de setembro de 2005

Questão de trabalho

Dizem os números que 3 milhões de pessoas neste país não trabalham... Mas na verdade há muitos mais se contarmos aqueles que também têm empregos...

domingo, 25 de setembro de 2005

Perguntinha

Porque é que estes povos orientais tecnologicamente tão avançados... ainda insistem em comer com PAUZINHOS???

(esta pergunta descabida resulta do meu esforço vão, claro está!!!)

quinta-feira, 22 de setembro de 2005

Agradecimento

Queridas amigas,
Recebemos por carta um agradecimento dos Voluntários do Hospital da Horta pelo contributo dado no jantar de beneficiência.
A todas aquelas que participaram, espero que este seja considerado mais um incentivo para continuarmos com as actividades, mesmo que esporadicamente.
A todas as outras que não puderam estar presentes por diversas razões e, entre elas, a distância física, faço votos que numa próxima vez tal seja possível.
Com muito carinho,
Rosa

sexta-feira, 16 de setembro de 2005

Flagrantes da vida real

Era uma vez quatro funcionários chamados Toda-a-Gente, Alguém, Qualquer-Um e Ninguém.
Havia um trabalho importante para fazer e Toda-a-Gente tinha a certeza que Alguém o faria.
Qualquer-Um podia fazê-lo, mas Ninguém o fez. Alguém zangou-se porque era um trabalho para Toda-a-Gente. Toda-a-Gente pensou que Qualquer-Um podia tê-lo feito, mas Ninguém constatou que Toda-a-Gente não o faria.
No fim Toda-a-Gente culpou Alguém quando Ninguém fez o que Qualquer-Um poderia ter feito.

Sessões de 24h em qualquer casa perto de si. :)

quinta-feira, 15 de setembro de 2005

Na dói não!

EllllÔÔÔÔÔÔ , amigas do meu pasto!!!!!!!!!


Viver na dói? Há pois não na dói não!!!!!!!!!!

E vá lá esse Carlitos Drummond dizer isso o nosso Camões, sim o homem da pála...

Ele era só queixar-se...
Há porque estou apaixonado....
Há porque o amor dói...
Há porque estou descontente
Há é dor, é isto, é aquilo... bbbbrrrrrrrrr

“Amor é fogo que arde sem se ver
É ferida que dói e não se sente
É um contentamento descontente
É dor que desatina sem doer."


Ah Camões... paciência....BBBBBBÀÀÀÀÀ, compra uma bússola e orienta-te homem!!!!!

Se vivesses hoje em dia
Tomavas uns anti-piréticos
e uns quantos analgésicos,
Xanax ou Prozac para a depressão
compravas um computador ou ias dar banho o cão.

Consultavas a página do Gado Bravo
e descobririas que essas dores que sentias,
esses calores que te abrasavam
e as pessoas que te cansavam,
essas mudanças de humor repentinas
só tinha haver com cenas que tu não atinas.

Esses desabafos sem nexo
NÃO eram feridas de amor
mas, porém todavia contudo...
somente falta de sexo!
OK?

(eu até que gosto do pirata, do homem da pala...mas na me lembrei de mais ninguém pra desancar)

Vou saltar a cerca, mas volto...não sei é quando!!!

Agora com todo o trabalho e estes horários longos, que nem a própria vista do Superman alcança o final, na sei como vou ter tempo pra escrever estas misérias.
Continuem a fazer e a escrever coisas brabas.

MUUAAAHHHHH

terça-feira, 6 de setembro de 2005

"Viver não dói..."

Após uma longa ausência resolvi regressar ao pasto... Sabem como é, férias são férias! Mas para me redimir venho deixar aqui um poema mt giro do Carlos Drummond de Andrade, intitulado "Viver não dói". Espero que gostem!

"Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Porque sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer,
apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana,
que gerou em nós um sentimento intenso
e que nos fez companhia por um tempo razoável,
um tempo feliz.

Sofremos por quê?

Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado
e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas,
por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido
ao lado do nosso amor e não conhecemos,
por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos,
por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado,
e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.
Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco,
mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema,
para conversar com um amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente connosco,
mas por todos os momentos em que poderíamos
estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias
se ela estivesse interessada em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu,
mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos,
mas porque o futuro está sendo confiscado de nós,
impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Como aliviar a dor do que não foi vivido?

A resposta é simples como um verso:
Se iludindo menos e vivendo mais!!!

A cada dia que vivo,
mais me convenço de que o desperdício da vida
está no amor que não damos,
nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que,
esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.

O sofrimento é opcional."

segunda-feira, 5 de setembro de 2005

Quem manda nisto

Mas afinal quem é que manda aqui? Aqui, neste mundo.
Serão os eminentes juízes, as autoridades militares, a academia de óculos e livros, os políticos janotas? Isso é que era doce! A esses, já estávamos habituados... Ná ná ná...
Hoje em dia, já todos conhecem um juíz, ninguém se intimida com fardas e galões, até a vizinha tirou um doutoramento e fala como se sabe, e político é aquele gajo que vemos todos os dias...

Quem manda nisto é:
1. o funcionário público - "tirou ficha? fechamos às 4, não viu, olhe que diz ali na entrada! há aqui uma fila, minha senhora, e desculpe, mas eu disse que me trouxesse mais uns impressos da viatura em questão. Não, não, o registo caduca ao fim de 15 dias. Hoje é o 16º dia. São mais 25 euros, por favor. Como? Era o que faltava, veja lá se me preenche com exactidão ou não sei se prometo que acabo isto hoje"


2. o taxista - " cobro mais porque leva bagagem. e é fim de semana. e de noite. e está a chover. e mandou-me chamar pela central. e isso que leva é um gato? então, são mais 2.5 euros."

3. a secretária - "tem entrevista? então, é aguardar. ai, o sr Dr está ocupadíssimo, ele não me disse nada e eu não o incomodo, tenha paciência... é aguardar. Pois, então, volte amanhã. Ou depois..."

4. o polícia - "Então, a menina viu a situação? E ele ia por que lado? então, não viu bem? assim, pela esquerda? e o caso foi rápido? Ah, não tem a certezada rapidez? Ora, todo o ponto crucial está em a menina não ter a certeza! Perde o seu tempo... e o meu, menina e o meu!"

Há mais, claro... A enfermeira que nunca mas nunca chamará o médico, o mecânico que evidentemente sabe tudo sobre o carro mas não o tem pronto sabe-se lá porquê, o mestre de obras que invariavelmente nos esfola a casa todinha e (esta vai para o meu mano) o porteiro da discoteca que implica com a roupa e diz que é sempre noite de casal quando um gajo está sozinho!

quarta-feira, 31 de agosto de 2005

Espelho meu, espelho meu...

Agora está quase a acabar, é verdade, mas a febre da época do bikini repete todos os anos aquele ritual do culto do corpo que acorda os secretos complexos de cada um.

Eles e/ou elas desatam todos a matar calorias (pobres infelizes, que mal fizeram para serem assassinadas?), a fazerem musculação (há quem lhe chame culturismo, e a palavra tem a sua graça!), a fazerem guerra à celulite e outras coisas subitamente incómodas e antes estrategicamente escondidas (enfim, só de alguns, que quem nos conhece melhor sabe sempre onde somos menos perfeitos...e mais... eh eh eh)
Sim, que isto de o "interior ser belo" tem muito que se lhe diga... Eu, por exemplo, acho os intestinos, o fígado, o cérebro e todas essas coisas interiores absolutamente repugnantes!
E isto de todos sermos iguais também é outra treta! A minha casa a arder e a da vizinha loira, com olhinhos de ninfeta e andar bamboleante... Quero ver quem será salva mais depressa pelos bombeiros!
Claro, a suprema excepção do A-M-O-R quebra as regras do estético: posso perfeitamente apaixonar-me por um calhau e achar que ele/a é lliiiiinnnddooooo/a !!!!!
E é espantoso a quantidade de pessoas bonitas, realmente bonitas,de olhar matador e ombros torneadinhos, que se julgam feias... E dão em complexados. Eu até tenho interesse em que os psicólogos tenham trabalho, mas por amor de D-us! Não haverá espelhos aí em casa?
Muito bonito é favor. Se a Grécia Antiga não tivesse caído, faziam-se estátuas segundo esse modelo.

segunda-feira, 29 de agosto de 2005

É bonito...

Image hosted by Photobucket.com

Mas eu também o deixava...! ;)

domingo, 28 de agosto de 2005

Os heróis do fogo

Já sei: é Verão e não apetece falar de coisas tristes. Aliás, a ver pela frequência com que esta manada (incluindo eu) tem vindo deixar a sua posta neste blogue, não há vontade nem sequer para falar das coisas alegres. Mas há coisas e coisas. E há tristezas que se metem pelos olhos adentro, sem que possamos fugir. Nesta última semana, ver os sucessivos incêndios que têm feito honras de abertura de todos os telejornais nacionais têm-me cortado o coração. Pergunto-me como é possível que ainda haja alguma coisa para arder. E como é que os bombeiros aguentam as longas jornadas de combate às chamas. É de loucos! Se somos ou não um páis de pirómanos, não sei, mas não tenho dúvidas de que devemos ser um país de heróis, pelo menos a ver pelas histórias que se vão contando todos os dias.

A solidariedade dos açorianos

Esta semana, 25 bombeiros açorianos partiram para se juntar ao combate de incêndios na zona de Coimbra. A propósito disso, não posso deixar de citar o editorial do Jornal dos Açores do dia 24 de Agosto (não é só nas ilhas que os jornais chegam com uns dias de atraso). Nele, o director João Paz exalta os «corajosos e dignos representants da solidariedade dos Açores para com as populações continentais portuguesas e martirizadas por múltiplos incêndios».

Referindo «este espírito de inter-ajuda, principalmente nos momentos mais difíceis», João Paz considera «o continente português uma a juntar às nove ilhas do soneto de 1926 do Padre Botelho, “saudoso Vigário das Furnas”, enderaçado, na altura, à mártir ilha do Faial». E porque o soneto é muito bonito, também o transcrevo abaixo.

“Nós somos nove irmãs. O nosso laço
Debalde vem mordendo o velho Oceano:
Quanto mais ele espuma ardido e insano
Tanto mais se afervora o nosso abraço.

Uma de nós-duleíssimo pedaço
Deste longo jardim açroriano-
Tremeu-lhe o coração, que enorme dano!...
E mísera se fez em breve espaço.

E agora nós, irmãs da infortuna
Vimos trazer conforto à desgraçada
E mostrar-lhe quão sentido é o nosso dó.

Que, quando uma de nós se afoga em mágoas,
Nos já não somos nove sobre as águas:
Somos a antiga Atlântida – uma só...”

Neste caso, somos um só país. Com ou sem mar pelo meio.

quarta-feira, 10 de agosto de 2005

Viajantes e Turistas

Eles são de vários tipos, pois são...


Há o típico turista de máquina de filmar em riste (ou outra, último modelo), que viu todos os programas de tv sobre o país a visitar, e cujo objectivo máximo é voltar com provas materiais sobre a viagem (souvenirs, fotos dele próprio junto aos lugares ditos típicos, e um bronzeado espectacular!). Odeia a comidinha tradicional, é membro do Club mediteranée e, quando voltar, é para dizer aos amigos "Eu já estive lá", com um arzinho sobranceiro...

Há o que se quer abastecer da cultura do país que visita. Absorve tudo, qual esponjinha em vaigem. Ele é livros, paisagens, gastronomia, conversas e cerveja.Leu sobre nós, antes de vir, em obscuros artigos de revista que o pessoal nunca ouviu falar. É um tipo porreiro, mas adora falar de cinema negro e filosófico até às três da manhã, e visitar igrejas. Prefere a cidade ao campo, porque "curte a arquitectura".

Também há os que preferem os lugares intocados pelo Homem. A malta que ama o ambiente (e que detesta os outros turistas todos). A malta que conheceu os Açores através de uma conversa de amigos. Os do campismo ou do barco. Os da t-shirt usada e botas todo o terreno (quando é preciso).

E, last but not least, os que procuram a calma espiritual, a a liberdade e a união com o Universo. O pessoal das novas ideias, que parece estar a fazer um novo tipo de peregrinação. Ainda falta arranjar um nome para estes... Com tempo. Fruto desta época em que vivemos.

Ah! E, na minha terra, os iatistas... Mas esses não cabem aqui. São, como diz o povo, os aventureiros. E são tão especiais e tão livres (além de não serem sazonais) que mereciam um post à parte. :)

quinta-feira, 4 de agosto de 2005

MALHADITA EM RECUPERAÇÃO

Venho por este meio cheio das inteligências, agradecer a todo o gado bravo que demonstrou solidariedade e preocupação para com a minha bezerrita.

Neste momento já estou instalada no meu modesto palheiro.
Depois de umas mini férias forçadas num pasto alheio, onde fui tratada com muita braveza (gado conhecido), a minha endiabrada "malhadita" recuperou (não confundir com cuperou...) a olhos vistos.

O portão do curral foi aberto na terça-feira para regressar ao meu pasto mas com sérias condições, tratar da bichinha com forte fúria e sobretudo não tirar o olho de cima da criatura.

A vigilância tem sido apertada e o cerco também, por agora a malhadita não pode saltar a cerca e dar azas ás suas maluqueiras, ficaremos nos proximos dias dentro do palheiro a ruminar e a ver as nossas amigas mumus aqui do pasto ao lado.

Obrigado a todo o gado bravo

Muaahhh e da Malhadita

A coisa está Preta

Comunicado do Primeiro Ministro

O Primeiro Ministro faz o Governo e todo o país saber que, até nova ordem, tendo em consideração a actual situação das contas públicas e como medida de contenção de despesas, a luz ao fundo do túnel será desligada.

Chuif chuif

Muuaaahhhh

quarta-feira, 3 de agosto de 2005

Que braveza

Animado pelo anúncio da recandidatura de Mário Soares à Presidência da República, o nosso querido Eusébio já confirmou o seu regresso à Selecção.
Por seu turno, António Calvário começou a ensaiar o tema que vai levar ao Festival da Eurovisão de 2006.
No caso de Rosa Mota, a atleta portuense reconheceu não ter tempo para se preparar devidamente para os Jogos Olímpicos, a disputar na Alemanha, em 2008, pelo que resolveu adiar o seu regresso para os Jogos de Paris, em 2012, onde participará na Maratona e nos 10.000.
Finalmente, Portugal em movimento!

terça-feira, 2 de agosto de 2005

Balanço

Só para vos dizer que este mês não tenho um pingo de paciência para vir escrever seja o que fôr por aqui. Nem neste blog nem noutro qualquer - nada pessoal amigos, companheiros, palhaços - apenas coisas melhores que fazer.
Aliás, para vos dizer a verdade, prefiro contribuir para a silly season (a designação fashion do momento) do que largar por aí comentáriozecos (dignos de estudo) só para picar o ponto.
Só venho ler o Melancómico porque para o resto bastam os jornais.
Até já.

terça-feira, 26 de julho de 2005

Rir faz bem à saúde!

Segundo um estudo da Universidade de Valência, em Espanha, o humor em geral e a gargalhada em particular têm efeitos terapêuticos. Segundo este estudo, 5 minutos de gargalhadas equivalem a 45 minutos de exercício físico, vejam só! Se queimasse a mesma quantidade de calorias podem ter a certeza que haveria muitas mais pessoas a rirem... Hihihi

segunda-feira, 25 de julho de 2005

A despedida de um campeão...

Ontem o mundo despediu-se de mais um campeão, o que não podemos deixar passar em branco. Não é apenas um campeão na luta pelo pódio, mas também um campeão na luta contra o cancro.
Lance Armstrong terminou ontem a sua carreira desportiva no ciclismo, para tristeza de uns e alegria de outros. Isto porque há quem diga que é bom que isto tenha acontecido, tendo em conta que Armstrong venceu o Tour de France 7 anos consecutivos, e que estava na altura de dar lugar a novas estrelas!
Apesar de Armstrong ser apenas um campeão do Tour, já que foi a única prova que venceu, isso não lhe tira o mérito. Foi o único ciclista até hoje que cometeu uma proeza difícil de igualar: venceu 7 Tours de França consecutivos. Isto ainda ganha mais mérito se pensarmos que foi concretizado após um cancro...
Resta-nos agora recordar este grande atleta e aguardar pelo surgimento de novos campeões, entre os quais gostaríamos de encontrar o português José Azevedo, companheiro de equipa de Lance na "Discovery Channel".
Armstrong é, sem dúvida, fonte de inspiração para muitos, pela sua determinação na vida e no desporto, e uma lição de vida para todos nós. Por isso...
... Obrigado Lance!

sábado, 23 de julho de 2005

Que fazer com os escritores açorianos?

A revista Grande Reportagem de hoje publica uma interessante reportagem de Joel Neto, sob o título que aborda o encerramento da editora Salamandra e questiona o futuro da literatura açoriana. “Que farei com esta bruma?” é o título do texto do jornalista terceirense, que deixa no ar muitas questões pertinentes. Recomendo a leitura, mas para quem não tiver acesso ao original, deixo aqui alguns excertos.

«“A morte de uma editora é sempre de lamentar”, reage Eugénio Lisboa, poeta, ensaísta, crítico literário e um dos académicos do Continente que, nos últimos anos, mais atenção têm dado à literatura açoriana. “No caso da Salamandra, essa morte é especialmente grave, porque não haverá muitas outras editoras dispostas a publicar os autores dos Açores. Corremos o risco de calar por um período relativamente longo uma série de vozes importantes da língua portuguesa.”

(...) Que uma boa parte destes autores fique agora privada de editor há-de ter um lado bom e outro mau. Francisco José Viegas, escritor, jornalista e crítico continental que há muitos anos mantém atenção especial ao fenómeno, tenta não dramatizar: «Se calhar, a literatura açoriana precisa é de ser menos açoriana e mais literatura», dispara.

(...) E mesmo Nuno Costa Santos (...), um dos últimos autores a publicar na colecção Garajau – e o mais jovem ficcionista a aderir à Salamandra em muitos anos – também acha que o desespero será o pior dos caminhos, e prefere ironizar: “À partida, não é, digamos, uma boa notícia. A Salamandra e Bruno Ponte eram um porto de abrigo para a escrita açoriana (e uma forte forma de incentivo). Mas, ao mesmo tempo, isto poderá funcionar como desafio. Utilizando a facilidade da metáfora, pode ser que agora muitos escritores açorianos se façam finalmente ao mar (eu, por exemplo, já comprei as braçadeiras).”»

Souvenir de Angola

Image hosted by Photobucket.com

sexta-feira, 22 de julho de 2005

O cheiro do mar

O cheiro do mar tem um tempero que os cozinheiros desconhecem,
um sabor que os peixes mais apetitosos deixam apenas adivinhar,
um som que os cristais mais puros não são capazes de produzir.

O cheiro do mar é quente como o sol que tosta a pele,
deixando plantadas sementes de sal.

O cheiro do mar é um odor intenso e por vezes profundo,
como profunda é a mais longínqua escuridão,
perdida por entre montes submarinos
e placas de nenhuma existência.

O cheiro do mar, é apenas isso:
um cheiro. O mar é que é tudo o resto.

Música também é poesia

Explicar a razão porque se gosta deste tipo de música, ou deste tipo de poesia é um bocado complicado, mas existem certas músicas/poesias que ao ouvirmos sentimos uma inexplicável necessidade de acompanhar e/ou cantar em plenos pulmões (mais ou menos desafinados) e que no final nos fazem sorrir sem preconceitos nem razão.

Para todas um pouco de Adriana Partimpim, que de canhoto tem pouco!


Avião sem asa,
fogueira sem brasa, sou eu assim sem você...
futebol sem bola, piu-piu sem frajola, sou eu assim sem você...
porque é que tem que ser assim. Se o meu desejo não tem fim.
Eu te quero a todo o instante, nem mil altifalantes vão poder falar por mim.

Amor sem beijinho, bochecha sem claudinho, sou eu assim sem você...
Circo sem palhaço , namoro sem amaço, sou eu assim sem você...
Tou louca pra te ver chegar, tou louca para te ter nas mãos, deitar no teu abraço, retomar o pedaço que falta no meu coração.

Eu não existo longe de voce e a solidão é o meu pior castigo,
eu conto as horas pra poder te ver mas o relogio ta de mal comigo porque? porquee?!...

Nénem sem chupeta, romeu sem julieta, sou eu assim sem voce...
Carro sem estrada, queijo sem goiabada, sou eu assim sem voce...
Porque é que tem quer ser assim? Se o meu desejo não tem fim, eu te quero a todo o instante nem mil altifalantes vão poder falar por mim.

Eu não existo longe de voce e a solidão é o meu pior castigo,
eu conto as horas para poder te ver mas o relogio ta de mal comigo.

Eu não existo longe de voce e a solidão é o meu pior castigo,
eu conto as horas pra poder te ver mas o relogio ta de mal comigo.