terça-feira, 28 de dezembro de 2004

Bom 2005!

Amigas e amigos,
Desejo-vos um 2005 cheio de concretizações de bons projectos.
É preciso acreditar que o que queremos se poderá tornar realidade, e que tudo só depende da nossa vontade.
Um abraço a todos.

terça-feira, 21 de dezembro de 2004

Agradecimentos

O Gado Bravo vem por este modo, desejar um Bom Natal a todos os seus leitores e participantes, que são poucos, mas assíduos e bons! :)
Ao Vitor, Pedro e Alex e ao www.opovoebomtipo.blogspot.com
Ao Bruno, afins e ao www.sopinhademassa.blogspot.com
Ao degenerado JP que não dá pio no Gado nem no Sopinha, mas que sei que anda feliz e está bem de saúde ;)
À S.Castro que anda nas Amércas e que ninguém sabe dela;
À Xegateporego que foi pastar para outro presépio;
À Clotilde que também anda por fora mas que passa o ano cá.
A todas as membras do Gado Bravo em particular, um Bom Natal!
A todas as outras e outros que cá páram sem querer, as nossas desculpas pelo incómodo :)

Últimas prendas

Para aquelas a quem ainda lhes falta comprar alguma pequena lembrança para um amigo ou amiga, passem pelo antigo edifício da polícia, em frente à C.M.H., onde se encontra uma pequena exposição do Centro Comunitário de Castelo Branco. Nessa exposiçãozinha podem encontrar pequenos objectos manufacturados à venda (muito lindinhos), e com o objectivo de angariar um computador para o mesmo centro.

Concerto de Natal

Dia 23 - Quinta-Feira
21h00 – Concerto de Natal
Pelo Conservatório Regional da Horta
Local: Igreja Matriz
Org.: C.M.H. e Conservatório Regional da Horta

Aqui fica uma sugestão para uma noite diferente minhas caras bravas. Já todas sabem da boa fama que o nosso conservatório goza e com muita razão, portanto, aqui fica a informação para aquelas que pretenderem participar na ocasião.

Beijinhos e abraços

Fui rectificada de um lapso imperdoável... a Susebrava fez anos a 7 e não levou beijinho! E já agora (como quem não quer a coisa) outro beijinho para mim que fiz a 9! eheh.
Como podem perceber, andamos fracas de ideias e atarefadas com a época, vai daí que o pasto ande fraco em participações. Melhores dias virão.
Um Bom Natal a todas!!!

sábado, 4 de dezembro de 2004

Natal

Queridas amigas e amigo,
Estamos na época mais espiritual do ano, portanto não resisti a mandar-vos, especialmente àquelas que sei que não vão a casa no Natal, um abracinho cheio de saudades.
Anos houve, em que ir a casa era uma festa, começavam-se a planear jantaradas um mês antes e a trocar emails em força para se saber o que se iria vestir na passagem de ano. Agora mantêm-se a tradição entre as poucas que vão, mas as ausências são cada vez mais. No entanto, cá estamos.
Para quem está longe, saiba que estará sempre perto em todas as memórias vivas que mantemos e recusamos esquecer.
Quero também deixar um beijinho ao menino Joãozinho da Leonor e do Tuka, que fez anos dia 2, ao nosso cirugião de cabeças, o Bruno, que faz 29 anos hoje e à linda Xana da Anita e Paulo, que faz 1 anito amanhã :)
Cumprimentos Bravos!

sábado, 27 de novembro de 2004

Desafio

Bravas amigas e companheiras,

O nosso contador de visitas já virou os 500!

Desafio:
----->"Qual a explicação para este fenómeno?"

Possíveis interpretações:

1) Somos um Blog secreto e todas as visitas são dos membros
2) Alguns lavradores fizeram pesquisa sobre vacas
3) Visitas feitas por amigos e namorados
4) Alguém veio cá parar por engano
5) O contador é simpático e dá 400 visitas de bónus para incentivar


terça-feira, 23 de novembro de 2004

atencao, estou no ar!

Gado Bravo

Prontos, atencao... esta no ar! Penso que estou aqui entao a colocar on-line o meu primeiro post neste cantinho especial das bravas das ilhas que e o post do gado bravo. Penso.. mas nao tenho a certeza, nestas coisas misticas, miticas, metafisicas das tecnologias so acredito vendo, de maneiras que vou aguardar ate premir ali o publish, "refreshar" o meu computer e entao esperar a ver se a coisa esta ou nao no ar. Depois posso gritar uns yess de felicidade e extase sozinha , que aqui o environment esta bastante calmo, os bifes ja bazaram do escritorio, hehe, ta na hora para uma verdadeira transformacao brava!!

Primeiro, aqui ficam os meus abracos, beijos e outras manifestacoes corporais de alegria e desejo para todas as bravas, de acordo e evidente com o grau de proximidade. beijinhos ai po gajo do grupo tambem, ficamos sempre honradas por estes homens que nos ousam seguir! Beijinhos especiais pra chefe da manada, a vaquinha mor, a gaja brava por excelencia sempre no meu coracao!

Segundo, desculpem malta, mas os meus posts vao sofrer sempre desta falta de acentos que ja aqui se nota. Portanto quando eu escrevo "e", tanto pode ser e como e, perceberam? Aqui por terras dos bifes a malta nao faz uso desses acrescentos e portanto nao os encontro no teclado. Mas tambem nao faz mal, a confusao aumenta a excitacao, por meios de redobrados significados. Todos sabemos do importante que isto pode ser noutras esferas da vida...

Terceiro, queria fazer uma contribuicao aqui pro caso dos gaijos e panelas, se faz favor. Ora entao e assim: eu propria, estou dotada dum desses gajos que normalmente intitulamos de namorado e a bem dizer, tenho uma experiencia do genero "gajos excessivamente gostosos de panelas tambem conseguem ser bichos raros la a maneira deles". Eu sei o que e que voces estao a pensar, "olha pra ela, a queixar-se, a vaca, que tem o gajo na cozinha a gastronomizar pra ela!". Pois, so que, terceiro ponto um, eles nunca cozinham sozinhos, querem sempre ajuda para fazer as coisas mais chatas e onde as hipoteses de te cortares sao maiores! Depois surgem as bocas "E pa cortares cebola e nao os dedos, rapariga!" e os eventuais "Se passasses mais tempo na cozinha, nao aconteciam essas desgracas", ou pior "Se a tua mae te tivesse ensinado a cozinhar...", irra, coitada dela, que fez o que pode pra que eu nao fosse por esse mundo fora sem saber como e que se frita um bife! Terceiro ponto dois, como dizia a amiga Suzebrava, e dizia muito bem, nos somos mais de nos deitarmos ao trabalho, de forma simples, economica, sustentavel! "Meus amigos, e preciso fazer arroz de tomate, pois entao faz-se, ja esta, e ve-lo a sair!" Isso pos gajos nao da, a experiencia culinaria e mais um daqueles momentos em que lhes inflaciona o ego e e ve-los a "eruditar" sobre uns quaisquer mexilhoes com molho de manteiga!
De maneiras, que, para concluir este argumento, quanto a mim isto com os gajos e a culinaria e um problema de falta de meio termo: ou nunca viram panelas na vida ou sabem exactamente qual usar em cada prato especifico e olham-nos com um misto de terror e repulsa se lhes desafiamos a logica, propondo estrategias menos elaboradas... E a vida...

Quarto, quanto ao gajo da Casa Branca, sim, partilho completamente as vossas tristezas, pior era impossivel.

Bom, por agora e tudo, vou fazer um copy disto po word antes de tentar o publish, que me encontro ainda profundamente descrente quanto a possibilidade de ser desta que eu me introduzo nisto dos blogs. Ate breve!

De volta às bravuras

Cumprimentos a todas as excelentíssimas bravezas!

Bem vejo que isto tem andado mais animadinho, a nossa amiga Malhada tem realmente provado que é uma Brava e temos também as nossas duas últimas recentes novidades, a SuseBrava e a Isa que mesmo "desacentuada" esteve no seu melhor. Pois é assim mesmo, há que dar alegria à casa :))
Hoje vou aprofundar um pouco o assunto --> falta de inteligência, porque é decididamente, um assunto que merece a nossa reflexão.
Nos tempos que correm, se tiverem um pouco de atenção, ouvirão muitas vezes a palavra tolerância, desde "O quintal dos abortos", passando pela Assembleia e acabando nas nossas casas e relações com os outros.
Como bem sabem, o acto de ser tolerante, significa aceitar o que não se gosta, o que se discorda ou o que não nos dá prazer. Implica uma abstenção pela nossa parte de intervir na acção ou opinião em questão e isto relaciona-se essencialmente ao que é desagradável e/ou moralmente repreensível. Tolera-se o que não se partilha de alguma forma, e aceita-se a diferença, não do outro, mas da sua opinião.
Ora bem, agora começam os problemas. Para sermos sujeitos autónomos temos que usar a razão, uma razão consciente e ponderada que passa pelo conhecimento, e para tal terá que se fazer uma filtragem de opiniões e de teorias e procurar o que seja mais próximo da verdade, no mínimo, uma verosimilhança.
Só assim poderemos ser livres - pela razão, e sendo livres, implicitamente reconhecemos os outros, nossos semelhantes, como livres também, e podemos ansiar por uma sociedade melhor.
Contudo, numa sociedade que se diz liberal e pluralista, em que todos somos diferentes, e pressupondo que fazemos uso da razão, as diferenças seriam colmatadas pela aclamada tolerância, certo? Alega-se tolerância para tudo e esta tem realmente servido para resolver o "quase tudo". Ninguém gosta de dizer que é intolerante pois não?
O que acontece é que também esta amiga, imperadora da boa vontade entre os homens, a tolerância, tem limites.
Os seus limites andam apertados sempre entre o que é bom e o que é mau, entre o correcto e o incorrecto, entre o certo e o errado. Não há casos paradigmáticos para que se aplique a tolerância, porque se apela, não a uma norma ou sanção, mas ao bom-senso, ao devido uso do conhecimento e bom juízo da razão. Tenta-se não cair num absolutismo nem num relativismo. Procura-se o meio, onde está a virtude.
Agora pergunto-vos amigas bravas: Será que a maior parte das vezes não somos tolerantes demais e nos esquecemos de procurar a verdade, meia verdade ou apenas o mais útil, só para não nos chatearmos, porque simplesmente não vale a pena?
Andamos a viver num país de broncos em que se imita, não se cria. Andamos como que uma manada (passando a ironia a nós próprias), ou rebanho, como se diz mais vezes.
O que se passa é que, se se faz o que é comummente aceite sem nos questionarmos, estamos a aceitar todas as burrices que nos impingem.
Que fique claro que não me refiro a nós, estou em crer que somos bravas de sangue e com uma capacidade crítica para além do normal, e faça-se já aqui e agora, justiça às nossas kridas LBravinha e C-Angel, que têm realmente participado e mostrado muito bem, na nossa sociedadezinha, que não têm papas na língua. É preciso ser-se cada vez mais crítico.
Enfim...
Mas aquilo do Bush deu, dá e dará cada vez mais nervos. Não consigo ser tolerante com aquela manada americana, porque acho que não usam a razão, são todos marionetas de carne amorfa. Suponho que seja por pensarem que a sua sociedade está civilizada demais e já não se sintam obrigados a pensar. Compram tudo feito, até as maquinações maquiavélicas entre meio dum hamburguer.
Sabem... cá para mim, anda o Bush a jantar às escondidas com o Bin Laden, a conferenciar os preços dos recursos naturais para que todos nós nos lixemos e bem.

Beijinhos Bravos que já me estou a esticar muito! :)

domingo, 21 de novembro de 2004

Desprezo pelo Jumento e sua manada

Caras bravas e bravo JP,

Peço desde já desculpa pela minha ausência, mas andei a curar-me daquele bravo corte no meu dedito singelo. Sim, só agora cicatrizou, devia ter levado pontos e tudo! E os gaijos a olhar com ar de…”credo, que é isso?” Gostaria também de referir, que me sinto muito reconfortada após a minha alegre leitura dos vossos posts, minhas bravas lindas. Não desgostei do post to JP, não deixa de ser um pouco tendencioso e pender para o machista. Não os podemos culpar, minhas bravas, a pressão social é tanta sobre estes pobres machos, que, lá está, não têm outro remédio senão ceder. Não conseguem deixar de ser machistas nem que a vaca tussa. Estou a tussir, cof, cof, cof!!!!

Quanto ao tema do momento, o Mr. “W”, como o chamava um engraçado comediante americano do qual agora não me lembro o desgraçado do nome. Está-me debaixo da língua mas não tenho agora aqui ninguém para ler o diabo do nome quando eu a levanto. Enfim, tretas.
O que eu quero agora expressar é o meu desprezo pelo jumento do W. e pelo seu povo. O Bush é de facto um homem possuído, ele não tem culpa, está dominado pelo demoino. É verdade, minhas amigas, não há outra explicação para este caso. O povo americano é um povo oprimido. Por isso votam nele para ver se o demoino se vai embora para eles deixarem de ser oprimidos pelo Bin Laden. Ora, esta minha revelação, não faz sentido algum, pois não? Pois, é isso que eu tenho a dizer sobre os americanos e seu respectivo presidente. Nada! Não há nada a fazer e muito menos a dizer sobre o pior mal do mundo, e esse mal, não é a fome, não é a sida, não são as epidemias, o terrorismo. O pior mal do mundo, é a estupidez nua e crua. A falta de números no QI das pessoas, por si só é mal suficiente, mas aliada à estupidez, é castrante, não há nada pior. Concordo completa e totalmente com nossa querida Gado Bravo, sem inteligência, não há milagres. Mas atenção minhas/meu caras/caro, o nosso país, não está melhor…mas não falemos do nosso país…não queremos entrar em paranóia, pois lá se vão os posts bravos e nunca mais escrevemos nada de jeito…

Coragem Bravas

Malhada

terça-feira, 16 de novembro de 2004

Armas Domésticas e o Gaijo da Casa Branca

Olá a todas!
Antes de começar a falar nos temas acima, começo por pedir desculpa a todas por ainda não ter dado um ar da minha graça, mas é que o meu trabalho tem andado muito bravo!
Realmente a última vez que andei no nosso blog, foi por altura do post da Lbravinha, portanto há uma eternidade!
Tive de levar algum tempo a ler os vosso interessantes posts e comentários.
Foi nessa altura que senti uma vontade louca de escrever este post, porque senti uma solidariedade enorme com a Malhada! (sei que já estão a comentar aquele gaijo nogento que se bamboleia na Casa Branca, mas tinha de voltar atrás!)
Uma certa pessoa que coabita comigo no mesmo espaço e que se diz meu namorado, ultimamente noivo (esta palavra é finíssima!), passa a vida a dizer, que estou sempre a cortar-me ou a queimar-me.
HELLOOOO!!!!
Experimenta a passar a ferro e talvez te queimes no ferro!
Experimenta a lavar a louça e talvez te cortes a lavar um copo!
Experimenta a cozinhar e talvez te queimes num tacho!
Experimenta a tirar as mãozinhas dos bolsos e fazer alguma coisinha!
etc, etc, etc,....
Este gaijo, este meu noivo, até faz alguma coisinha, mas enfim... Vocês sabem como é...
Mas também acho que o Gaijo da Casa tem alguma razão. É que os homens talvez sejam mais cuidadosos do que nós ou talvez disfarcem mais... é que nós com o nosso desenrrascanço não temos medo de meter mão à obra, quando a obra assim o exige, penso eu de que...
Quanto ao gaijo que se bamboleia pela Casa Branca, penso que não haverá muito a dizer, a não ser que estou contigo, C- Angel, estás em grande como sempre!!!
A tua opinião irada ou bravíssima, como queiram, deve ser partilhada por milhões de pessoas por todo o mundo, mas agora temo-nos de aguentar até às próximas eleições, a não ser que entretanto aconteça um atentado terrorista lá para as bandas da Casa Branca.... Bem, eu não disse isto!!!! Onde está tecla do delete para apagar isto????
Saudações bravas para todas

Susebrava

PS: Só quero lembrar que o Natal está à porta e temos um jantarinho para organizar, certo?







quarta-feira, 3 de novembro de 2004

"Homo Mariunetus"

Pois é minha cara C-Angel,
Parece-me que estamos todas incomodadas com a coisa... e por favor não te acanhes tanto para a próxima.
Queremos que saibas que podes escrever o que mais te aprouver, seja sobre política, sexo, chupa-chupas, cadeiras ou bonés e incluindo os palavrões todos que escreveste. Há cá, na sala de estar mães de família (já), mas como não são as nossas... força.
Minha cara, quanto ao Homo Mariunetus eleito novamente:
Não percebo qual o teu motivo de espanto. Custa-me a aceitar que isto tenha acontecido, só e apenas, devido ao meu eterno sonho de que a esperança esteja na pessoa. Nas pessoas neste caso. È uma coisa muito minha isto de acreditar em milagres, milagres não de fé, mas de dinamismo motivado, de clarividência pessoal.
Mas a verdade é que sem inteligência não há milagres.
Agora foi a vez das massas americanas, contagiadas pelo entusiasmo próprio dos festivais, deixar-se levar.
Não precisamos de sair do país ou tão pouco da região para vermos factos semelhantes.
Não querendo entrar em querelas partidárias e passando a minha ideologia, a brava verdade-verdadinha-verdadeira, é que as massas são umas chupistas de emoções. Gostam é disssssso, querem é dissssso e quanto mais fácil melhor.
Enquanto não houver educação de bases, uma auto-consciencialização da nossa burrice, irá haver sempre o eterno retorno. Seremos governados por burros eleitos por acaso, por uma maioria activa mas contudo, não mais esperta.
Reparem que a democracia falha em muito, para começar, o governo eleito é eleito pela maioria activa. Restam a minoria activa e a abstenção. Ora no nosso caso, estas 2 vertentes somadas seriam mais (de longe!) que a maioria activa e portanto, votante. A maior parte de nós vive governada por governos de outros.
Acho que é, sinceramente, importante virarmo-nos para as ideologias e sabermos em que é que acreditamos, já que o desempenho técnico de qualquer governo, deixa muito a desejar.
Mas isto é conversa para outro blog que aparecerá brevemente... minhas bravas amigas :)
Foi uma dissertação a título de desabafo, como diz e bem, a não-brava C-Angel ;)
Por ora, basta disto.

tou me a passar

Sei que este blog não é necessariamente sobre politica mas como no TI não me deixam escrever sobre politica tinha de desabafar para qualquer lado.....
Tou-me a passar com este americanos mas que porras, votaram outra vez no macaco do Bush!!! Há gente que não aprende nem à força... as nossas amigas vacas são mais inteligentes que estes camones do caraças!!!! Os americanos são abaixo de animais irracionais, porra! Foda-se, Posso escrever palavrões?
Já que este é o meu primeiro post queria agradecer a honra de ter sido convidada e dizer que não me acho gado bravo, aliás toda a gente sabe que eu sou uma querida que nunca digo mal de nada, nem de ninguém!!!!AH,ah, ah!!!! Só do filho da mãe do Bush, que tem um QI abaixo de zero e a personalidade de uma barata!!!!
Agora que já me sinto um pouco melhor por ter desabafado vou terminar com um bem haja para todos as minhas companheiras e companheiro de blog.

sábado, 30 de outubro de 2004

Finalmente Brava!!

Em primeiro lugar devo um pedido de desculpas pelo atraso do meu primeiro post... mas tenho uma boa desculpa! Além de não ter net em casa durante a semana, a vida anda muito atarefada com frequências, trabalhos e grandes noitadas para conseguir pôr tudo em dia. Sim, ao contrário do que possa parecer não ando a "pastar"!! (É nestes momentos que tenho saudades de férias bravas.) Mas como se costuma dizer... mais vale tarde do que nunca! Tenho que confessar que fiquei muito honrada por ter recebido o convite para fazer parte do gado bravo e fico feliz por não ter desistido quando tentei cerca de 10 vezes fazer-me membro e nunca conseguia... foi uma tarefa realmente difícil. De facto, este é o meu primeiro post, e por isso não faço a menor ideia do que hei-de escrever. Espero que nos próximos me sinta um pouco mais inspirada! Parece que estas companheiras de manada têm debatido questões muito pertinentes, como esta colocada pela malhada, até porque os ditos cortes também me acontecem inúmeras vezes. Sou forçada a concordar que tal facto não acontece porque os gajos realmente não passam tempo nenhum na cozinha, e os que passam concerteza será muito pouco para terem tempo de se cortar! Como tá na hora de "ordenhar" por hoje não tenho mais nada a acrescentar. Pelo menos já foi o suficiente para me safar do raspanete! E já agora, tenham um bom fim-de-semana! Cumprimentos bravos a todas (sem querer excluir o único macho presente...),

mad cow

quarta-feira, 20 de outubro de 2004

Ausencia de Bravuras

Bravas amigas,
Estou sem net em casa, problemas na linha. Por tal, tenho menos tempo para exteriorizar disparates que mereçam ser publicos. Prometemos ser breves no arranjo da avaria.
Beijos.

quarta-feira, 13 de outubro de 2004

terça-feira, 12 de outubro de 2004

Gaijos e Panelas

Caras Bravas e Bravo JP,
Primeiro que tudo, devo dizer que é com prazer que vejo que já se ambientaram e ao que parece, já se sentem "em casa", neste caso até para a cozinha.
Minha krida Malhada, a tua questão é pertinente. Sem dúvida alguma, também eu nunca vi um gaijo a cortar-se na cozinha, mas a minha explicação é bem mais simples que a do JP: Não se cortam na cozinha porque simplesmente não vão à cozinha!
Claro que há excepções... tais como todos os meus ex's e que infelismente, não são assim muitos, a esses restava-lhes cozinhar se não queriam definhar de fome. E também temos o JP, o touro do pasto, que faz umas Migas à Alentejana que são, faça-se-lhes justiça, qualquer coisa.
Concerteza que cada vez mais, e até por diversos factores em mudança, vamos ter gaijos a mexer melhor nas panelas.
Vejam lá vocês que noutro dia, vi um programa bravíssimo em que os nossos miúdos portugueses, solteirões, divorciados, viúvos ou abixanados e que moravam sozinhos, íam todos os dias ter aulas de culinária a seguir ao trabalho!! E diga-se de passagem, os que apareceram eram todos bons pratos (!).
Pois eu acho muito bem. Não me considero propriamente uma sopeira de dia-a-dia e digamos que só dava jeito se a ideia pegasse. Afinal, os melhores "Chef's" são homens.
Malhada, termino completando a minha teoria, defendendo que eles não são desajeitados, fingem é pouco jeito e assim evitam a cozinha, ao contrário de nós, que por vezes não temos jeito e insistimos em tê-lo, obrigando as amigas a dizer por simpatia: "ah... sim... tá bom, tá..." (e a seguir cospem nos guardanapos).
Ainda bem que existem as telepizzas.
Muuuh's para as famílias.

segunda-feira, 11 de outubro de 2004

Os Homens e as tarefas domésticas

A propósito do post da Malhada: Como digníssimo representante do sexo masculino neste blog (permitam-me a imodéstia! É que sou o único...), julgo ter algo a dizer sobre a pertinente questão colocada pela brava acima referenciada. Analisando o seu queixume, e opinando que a melhor forma de se chegar a uma conclusão sobre este assunto é, de facto, através da observação, deixo alguns pontos que poderão ser interessantes sobre este facto. Facto porque, na verdade os homens não se queixam quando se queimam ou se cortam nas tarefas domésticas. Passo a explicar a razão pela qual tal acontece:
Por um lado, sempre habituados à divisão sexual do trabalho, os homens têm medo em entrar no reduto feminino (não mandem bocas, porque isto é uma constatação e não uma apologia, ok?). Daí serem extremamente cuidadosos com todas as tarefas domésticas (acreditem que deve haver para aí muito macho a procurar as instruções numa caixa de ovos ou num balde de esfregona). Este extremo cuidado que nos leva a demorar três horas para lavar a loiça do jantar, tem como resultado a falta de acidentes domésticos. (Pudera! Um copo da loja dos trezentos é tratado como o Santo Gral!).
Por outro lado, há aqueles que se cortam e se queimam, mas é muito abichanado estar a dizer à boca cheia que foi a picar cebola ou a gratinar bacalhau. Mais depressa dizem que a mazela que apresentam foi a arranjar aquela torneira que pingava ou a acender o lume para o barbecue. Há que distinguir!
Mas o melhor é observarem os homens nas tarefas domésticas. Para além de ser uma experiência interessante, vão poder verificar, com pouco esforço, porque é que se diz que são as mulheres que vão dominar o mundo.

domingo, 10 de outubro de 2004

Brava em crise!

Querrrrrrrrrrrrridas bravas endiabradas,

Escrevo este post, não só para, mais uma vez, dizer: .......... - CORTEI-ME!!!! Até devia, foi um corte muito feio que quase me levou o dedo indicador da mão direita. Pronto, não me levou o dedo todo mas levou um grande bife desta minha mãozinha delicada! Foi tanto ou tão pouco, que deu para fazer mão de vaca para o almoço!.... Enfim, quero com tudo isto dizer, que me cortei a lavar um copo. E o que significa isso, minhas bravuras???? Significa que eu estava a lavar loiça, certo? Ora bem, se eu não estivesse a lavar loiça naquele instante... não me teria cortado ( e "o contrário de estar vivo, é estar morto"). Divagando, divagando mas.... O cerne da questão é o seguinte: eu "pico-me" toda sempre que cozinho, lavo, esfrego ou limpo (que é tudo a mesma bosta). Sim, sei que não sou a única mas sinto-me cabisbaixa, ESPECIALMENTE PORQUE AOS MACHOS NADA DISTO ACONTECE!!!!

Para já vos digo, querrrrrrrrriiiiiiiiiidasssssss, jamais ouvi um macho, queixar-se por se ter cortado ou queimado, durante uma qualquer tarefa doméstica. O pior, é que, mesmo os que as fazem, também não se "pisam", PORQUÊ?????? Portanto, bravíssimas bravas, lanço o desafio: Gado Bravo vai tentar descobir porque os homens não se cortam, queimam, etc.! Começemos a nossa investigação, observando, vejam bem como eles se movem, o que fazem, ou melhor, o que não fazem!!!! Postem as vossas observações e/ou conclusões para conforto desta pobre alma brava, mas perdida!

Muuuhhhss,

Malhada



quinta-feira, 7 de outubro de 2004

Muahahahah!

Finalmente consegui! No meio de inúmeras hesitações e impossibilidades, surgiu a minha vez de mandar também as minhas postas de vaca. Yesse!
Não imaginam o quão orgulhosa estou por pertencer a este grupo bravo e também de ter contribuido um pouco para a sua fundação... Fiquem desde já a saber que é uma honra!!
É de facto fabolástico e transcendente podermos dizer o que nos apetece e aparecermos na neti... MÃE VE-ME NA NET!! TOU AQUI!

(isto de tar um dia inteiro em frente ao computador, já se começa a aparvalhar..)

Mas nem tudo são disparates..
O meu post tem como principal razão o relato de um belo, memorável, infindável, contagioso por risadas, acontecimento proporcionado por uma das nossas bravíssimas compatriotas..
Peço agora a vossa atençao e concentração, porque este momento, caros concidadãos e conjugues da bravura, é de facto de rara beleza...
Imaginem, com toda a vossa pujança e cagança:
Uma bela princesa, com seus cintilantes cabelos ondulados, morenos, bailando ao vento, seu corpo esguio e esbelto, sua pele macia e cheirosa.... Toda ela brilhava.... DE REPENTE ESCORREGA e solta: "eh caralhe!"

Agora digam-me se não é bonito... sim caros leitores foi um momento bonito, único!
Nao vou dizer o seu nome...... apenas que começa em "eh" e acaba em "carlota"... seria expôr a sua intimidade... Espero que compreendam.

Bem amigos, por agora já fiz a minha parte. Nada mais tenho a acrescentar, senão saudar efusivamente todos os que navegam em bravuras.. isto porque, nunca se esqueçam que ser-se bravo e brincar... é uma coisa muito séria!!

"Xegateporego!"



quarta-feira, 6 de outubro de 2004

UMA MUUUUULHER BRAVA SABE O QUE É!!!!!!!


Olá amigas bravas!
Estava eu a pensar com os meus botões, o quanto maravilhoso e potente é o ser o querer e o estar de uma mulher perante a vida (algumas). Lembrei-me de algumas características próprias de mulheres, e o quão fascinantes e raras nós somos por sermos ASSIM.
Fazendo parte deste maravilhoso grupo “gado bravo” comecei a pensar e resolvi pesquisar e elaborar uma lista de comportamentos/atitudes que uma mulher brava tem ou poderá vir a ter, ou seja, uma mulher brava com pelo na venta que transpire e respire a vida com forte fúria SABE O QUE É:
☻ Passar a vida inteira lutando contra seu próprio cabelo;
☻ Saber de memória quem se casou, quem se separou e quem anda a “comer” quem;
☻ Ter uma bolsa que parece a nécessaire da avó do 007, de tantas coisas acumuladas e incríveis que existem dentro dela;
☻ Falar de intimidades que os homens nem sequer imaginam;
☻ Ser tratada como uma idiota pelos mecânicos de uma oficina;
☻ Fingir naturalidade durante um exame ginecológico;
☻ Ter crises conjugais, crises existenciais, crises de identidade, crises de nervos;
☻ Ser mãe solteira, mãe casada, mãe separada e mãe DELE;
☻ Lavar a cueca no chuveiro, e depois pendurá-la no corrimão da toalha (para horror do sexo masculino);
☻ Comer uma caixa inteira de bombons, e sentir-se destruída porque saiu da dieta;
☻ Descobrir que a sua relação e o mundo acabou, e depois descobrir que não era nada mais que a síndrome pré-menstrual;
☻ Dançar, cantar e caminhar no sétimo céu... só porque ele “ligou escreveu ou disse” (ÉS ESPECIAL, E VOU AMAR-TE SEMPRE);
☻ Brigar, só para depois fazer as pazes (hi hi hi);
☻ Dizer não, para que ele insista bastante, e depois dizer... SIM (hi hi hi);
☻ O milagroso poder curativo de... um beijo... um gesto...uma palavra doce;
☻ Ser santa, filósofa, professora, médica, psicóloga, administradora, cozinheira, taxista, juíza.... etc ...antes de perder as estribeiras;
☻ Peidar-se com forte fúria ao pé dele e não mostrar constrangimento;
☻ Arrotar e tirar cascos do nariz com naturalidade;
☻ Ficar passada ao vestir um trapo de há dois anos atrás e não conseguir enfia-lo (porra esta roupa mingou ou quê!);
☻ Olhar para a balança, com fúria dizer 10 palavrões dos mais grossos possíveis e admitir: “esta merda deve estar avariada”;
☻ Sentir-se realmente infeliz no banho, porque procurou aquele corpinho danone e não encontrou vestígios dele;
☻ Enfim, só uma mulher brava sabe o que é... ser mulher!
Se existem incertezas acerca de uma catrefada de coisas sobre o grupo: formação, objectivos, nome, estatutos aqui vai minhas bravíssimas amigas o porquê da minha participação.
☻ Quero que este grupo nos dê oportunidade de desfrutar bravíssimos momentos de felicidade.
Quero que o tempo transforme o medo em coragem e nos dê a liberdade de fazer acontecer...e deliciosamente experimentar a essência do prazer.
Quero que a sabedoria afaste da nossa mente qualquer “mas”, e que o nosso momento seja pura inspiração...Um saboroso sonho que alimentará as lembranças no tempo...preservará nossa alma e nos confortará no futuro porque algo aconteceu.
Rapidamente num piscar de olhos as horas passam e os momentos felizes correm ligeiros, num piscar de olhos os filhos crescem e geram netos, num piscar de olhos os netos folheiam as nossas vidas e vão-nos encantar de certeza ao deixarem um sorriso depois de ouvirem a fantástica história do grupo do “gado bravo”, ou simplesmente dizer “a minha avó era louca...!”.


Até que vos ponha a vista em cima, continuem a ficar bem.

Kiá kiá kiá

Prazer em ser uma Brava

Finalmente consegui!! Sinto-me como se tivesse acabado de entrar para uma sociedade secreta, tantos são os trilhos a seguir.
Esta foi, defenitivamente, uma ideia fantástica, a criação de uma manada brava! Sempre quis fazer parte de um blog (ou algo como o clube da Mónica) onde se... faz-se o quê...? Enfim, estou mesmo contente por estar numa manada. No entanto, gostaria muito de ver publicada a história da criação deste Gado Bravo, uma vez que estou (como sempre) a leste...

Viva o Gado Bravo!!

quarta-feira, 29 de setembro de 2004

Palavras sem culpas e sem rumo

Confesso que me esforcei por não ser a primeira. Confesso que fiz tudo para ignorar os apelos da brava mais brava de entre as bravas para aqui deixar o meu contributo. Primeiro, aleguei o excesso de trabalho. Depois, a falta de tempo para navegar na Internet. Por último, até a ressaca das férias. Mas, na verdade, não passaram de desculpas para o simples receio de escrever o meu primeiro post. Afinal, o meu mundo não é desta rede, como diria o escritor João de Melo. Palavras, normalmente prefiro-as em papel. Bem impressas, em folhas de todas as cores e de todos os feitios, ou até manuscritas, em folhas soltas ou caderninhos de capas coloridas. Este é, portanto, o começo de uma nova relação com palavras avulso. Serão palavras sem culpas e sem rumo, eternamente disponíveis para as bravas das ilhas, que se espalham por esse mundo fora. Mas também disponíveis para todos quantos se deixam perder de vez em quando, ou de quando em vez, pelo espírito bravio das ilhas. Que seja, pois, o começo de uma grande relação! Um brinde aos Bravos!

domingo, 26 de setembro de 2004

sexta-feira, 24 de setembro de 2004

O Peixoso

O Peixoso, um nosso fiel companheiro nas férias do Verão que apesar de cheirar mal sempre se aguentou connosco e nós com ele.
Numa das nossas bravas aventuras (neste caso, a suar alcoól a meio da montanha do Pico), recebi um telefonema. Era a perspectora do Peixoso a perguntar-me se não queria dar umas voltas com ele até que os seus progenitores chegassem. Como o pobrezinho estava parado, aceitei.
Lá subimos o purgatório, sempre com a mania que somos bravas (claro está), e regressámos no dia seguinte (amarelas de cansaço) à nossa ilha bonita - o Faial, e... lá estava ele no cais!
Oh visão das visões! No seu melhor, com todo o esplendor, cheio de pujança e de cagança - Era ele, o Peixoso.
Confesso que quando o vi fiquei um pouco apreensiva pelo seu aspecto abatido, mas tudo se desvaneceu quando tive o primeiro contacto com o mencionado. Estava bem vivinho apesar de todo o seu aspecto cabisbaixo. Além disso senti um cheiro a peixe que não enganava ninguém, só poderia estar "amantizado" ou "amigado" com alguém que pescava! Sem sombra de dúvida.
E foi assim o Verão todo, ligeirinho e com cheiro a peixe, quiçá não fosse essa a razão da sua vivacidade?
Teve ele uma paixão assolapada por alguém do mar? Sim, é o mais certo... mas nunca o saberemos porque ele não é de muitas conversas... Regressou aos progenitores bem mais enriquecido com a nossa convivência, sabemo-lo. No fundo até é bom que não fale muito senão sabe-se lá o que poderia dizer...
O facto é que foi um amigo, nunca nos faltou em nenhuma boleia nem deixou que fossemos apanhadas pela polícia em noites mais agrestes.
Ora não fosse o Peixoso um Fiat Panda 1000 esquentado descapotável de 1914 a cheirar a peixe cujos ferros da capota nos caiam na cabeça em curvas mais apertadas.

quinta-feira, 23 de setembro de 2004

Sopinha de Massa

Sopinha de Massa

Não apenas por solidariedade para com o JP, nosso espécime único do género aqui no pasto, mas também porque fomos agraciadas pelo 1º comentário a um post por parte do BJ DJ (Grão-Mestre do blog com menos colesterol na net), temos portanto e com todo o prazer, o dever de fazer o mínimo - publicitá-los. É coisa brava também, gravitem por lá quando puderem.

quinta-feira, 9 de setembro de 2004

O Pseudo-Pastor

Enganem-se as Bravas que pensem que o acesso masculino ao nosso blog foi liberalizado!
Ao JP, o único touro bloguista presente, foi dada a benesse da honrosa participação pela sua disponível ajuda informática. A ele, as nossas sinceras boas vindas e aguardamos mais futuros contributos bravissímos.

O Gaijo da Casa

Apodicticamente, aos pares, só os tomates. Como os polícias. Desculpem a entrada abrupta, mas como gaijo tinha de relembrar este facto, na sequência do post da Grande Timoneira deste blog, a que assina Gado Bravo, a quem eu, mormente e nomeada, agradeço o convite formulado para chater mais gente com as coisas que amando para o ciberspaço. Fiquei muito sensibilizado por saber que, neste blog, era o único representante desse género que se dá o nome de masculino. Embora não saiba muito bem qual é o meu papel neste blog, julgo estar à vontade para dizer que, e à semelhança de outra publicação que recebe as minhas contribuições, ninguém sabe muito bem qual o papel a que a cada um compete. Agrada-me a ideia de disparates bravos. Por isso, cá estarei, de vez em quando, a escrever coisas que a ninguém interessa...

quinta-feira, 2 de setembro de 2004

O Péni

O Péni. Esta simples e inofensiva palavrinha que significa para muitos "o lugar onde está alojado o Tiko e o Teko", tem vindo a sofrer evolução. Não é um bravo descuido meu - é mesmo assim, Péni.
Passo a explicar. Numa das actividades bravissímas alguém disse: "Ai... o meu téni tá a magoar!" Ora bem, a problemática dos s's estende-se obviamente a outras tantas palavrinhas, se um sapato de desporto é téni e dois sapatos são ténis, então... Pois! É uma questão lógico/matemática.
Só se pode chamar ao dito cujo Péni, já que ele não tem mais irmãozinhos semelhantes a co-habitar nas redondezas.
Apodicticamente eles não se fazem aos pares... Bom, sejamos práticos... aos pares haveria um maior número de neurónios, mas por outro lado, a confusão gerava-se, seria o caos completo. Já é o que é...

segunda-feira, 26 de julho de 2004

O meu primeiro post...

Como já li em qualquer lado -------> "Qualquer um pode ter um Blog..."
Claro que à boa maneira portuguesa, se qualquer um pode... - ENTÃO TAMBÉM QUERO! Não há pré-requisitos, é apenas deixarmo-nos levar na aventura e deixar escorrer pensamentos, úteis ou não, a terceiros e quartos e quintos e sextos... e a todos os que pertencem a algo e a todos os que não pertencem nem querem pertencer a nada.
Quero que este seja mais um espacinho giro onde se escrevam coisas giras. Sem pretensões, especulações, falsas modéstias ou ilusórias humildades, manias ou manhas. Que seja simples. Apenas simples. Para complicar não se vem aqui fazer nada, basta-nos todo o resto.