terça-feira, 31 de maio de 2005

"Especial Benfiquistas"

Tenho a informar a todas as vacas e bois dos pastos das redondezas que dispois da taça de Portugal, apenas e SÓ, vai ser servido uma soupa de VERDINHAS ervilhas... esqueçam lá a DOBRADINHA!
HIHIHIHI

MUUAAAHHHH

Parabéns Muuaaahhhh!

Image hosted by Photobucket.com

segunda-feira, 30 de maio de 2005

Novo Post

Um novo post é coisa que já se pedia por aqui, mas devido aos atrabalhoamentos das espécies residentes, tal não tem sido possível.
Ficam estas duas linhas a dar ares de que ainda existe gente deste lado com vontade de voltar ao activo.
Prometemos ser breves e advertimos que continuamos a aceitar os olás do costume.

quinta-feira, 26 de maio de 2005

Celebração

Numa linda tarde de sol, um casal vai a uma esplanada. Estão a comer um gelado e, na mesa ao lado, está um indivíduo que já vai na quinta cerveja. A mulher, aflita, diz ao marido:
-Sabes, amor, nunca te contei... Mas este homem aqui foi meu namorado durante muito tempo... Desde que nos deixámos, há sete anos atrás, ele nunca mais parou de beber assim, coitado!
- Não digas asneiras, querida!
- Como assim?
- Ninguém consegue comemorar durante tanto tempo!

terça-feira, 24 de maio de 2005

sábado, 21 de maio de 2005

Lekton

Lekton: Termo grego usado pelos estóicos que significa «conteúdo do enunciado»

Um novo blog de leitura particularmente dedicado aos autores clássicos.
Inicia actividade com "A República" de Platão.

«Porque as raízes da cultura estão naquelas obras chamadas clássicas, obras cuja mensagem não se esgotou e que permanecem fontes vivas do progresso humano».

Warning

Image hosted by Photobucket.com

...porque nunca se sabe...!

quinta-feira, 19 de maio de 2005

Mais um momento Zen

Men read maps better than women because only men can understand the concept of an inch equaling a hundred miles.
- Roseanne Barr

Por isso é que os pastos andam meios desertos!!!!!

Palavras de noiva brava

Confesso que tenho sentido falta de partilhar convosco estes últimos dias de solteira, mas não há corpinho, nem cabecinha, que dê para tudo. A malta esforça-se, mas estar divida entre mil tarefas e compromissos de trabalho é coisa dura. Garanto-vos que o casamento tem sido a menor das minhas preocupações, apesar dos convites só na semana passada terem sido entregues... (ehehe)

Quanto a esta noiva, está a viver os últimos dias de strek solteiro. Espero que as bravas que me vão acompanhar se estejam a preparar ao mais ínfimo pormenor para tal honra. E nada de chegar tarde à cerimónia, senão não comem... Nem bebem!

Entretanto, já me preparo para levantar voo em direcção ao paraíso. Este sábado é dia de viagem para a melhor ilha do mundo. Ouvi dizer que ela está com tanto medo da festa que já se escondeu debaixo da bruma... Tenho de tentar convencê-la a mostrar-se em todo o seu esplendor aos meus convidados. Acho que é o mínimo que ela pode fazer por quem tanto se esforça a escrever sobre os seus encantos...

Entretanto, bjokas pa manada brava e pos amigos da manada!

terça-feira, 17 de maio de 2005

Tell me the truth about love

Hoje estou a ficar chatinha mas não posso falar de amor sem mencionar uma das mais lindas poesias sobre o seu significado. Para os noivos L&L, um pouquinho de Auden:


O Tell Me The Truth About Love


Some say that love's a little boy,
And some say it's a bird,
Some say it makes the world go round,
And some say that's absurd,
And when I asked the man next-door,
Who looked as if he knew,
His wife got very cross indeed,
And said it wouldn't do.


Does it look like a pair of pajamas,
Or the ham in a temperance hotel?
Does it's odour remind one of llamas,
Or has it a comforting smell?
Is it prickly to touch as a hedge is,
Or soft as eiderdown fluff?
Is it sharp or quite smooth at the edges?
O tell me the truth about love.


Our history books refer to it
In cryptic little notes,
It's quite a common topic on
The Transatlantic boats;
I've found the subject mentioned in
Accounts of suicides,
And even seen it scribbled on
The backs of railway-guides.


Does it howl like a hungry Alsatian,
Or boom like a military band?
Could one give a first-rate imitation
On a saw or a Steinway Grand?
Is its singing at parties a riot?
Does it only like Classical stuff?
Will it stop when one wants to be quiet?
O tell me the truth about love.


I looked inside the summer-house;
it wasn't ever there:
I tried the Thames at Maidenhead,
And Brighton's bracing air.
I don't know what the blackbird sang,
Or what the tulip said;
But it wasn't in the chicken-run,
Or underneath the bed.


Can it pull extraordinary faces?
Is it usually sick on a swing?
Does it spend all it's time at the races,
Or fiddling with pieces of string?
Has it views of it's own about money?
Does it think Patriotism enough?
Are its stories vulgar but funny?
O tell me the truth about love.


When it comes, will it come without warning
Just as I'm picking my nose?
Will it knock on my door in the morning,
Or tread in the bus on my shoes?
Will it come like a change in the weather?
Will its greeting be courteous or rough?
Will it alter my life altogether?
O tell me the truth about love.


W.H. Auden

elBravinha

Como andei mesmo agora a escrever sobre o feliz acontecimento, lembrei-me da prenda de Natal da nossa bravinha e reparei que não tenho dado poesia a este blog faz tempo.
Há dias, lugares, pessoas, livros e filmes que mudam a nossa vida e a prenda de natal da Li foi o que me levou a apaixonar pelas palavras. Talvez por ter começado assim é que se torna dificil deixar a segurança da poesia anglosaxonica e partir para outras. Apesar de estar a começar a interessar-me por Haikus (poesia japonesa).
Aqui vai em honra do filme da minha juventude e da noiva, + linda de todos os tempos, com certeza!!!! um poema de Walt Whitman:

" O Captain! my Captain! our fearful trip is done, The ship has weather'd every rack,
the prize we sought is won, The port is near, the bells I hear, the people all exulting,
While follow eyes the steady keel, the vessel grim and daring; But O heart! heart! heart!
O the bleeding drops of red, Where on the deck my Captain lies, Fallen cold and dead.
O Captain! my Captain! rise up and hear the bells; Rise up- for you the flag is flung- for
you the bugle trills,

For you bouquets and ribbon'd wreaths- for you the shores
a-crowding,
For you they call, the swaying mass, their eager faces turning;
Here Captain! dear father!
This arm beneath your head!
It is some dream that on the deck,
You've fallen cold and dead.

My Captain does not answer, his lips are pale and still,
My father does not feel my arm, he has no pulse nor will,
The ship is anchor'd safe and sound, its voyage closed and done,
From fearful trip the victor ship comes in with object won;
Exult O shores, and ring O bells!
But I with mournful tread,
Walk the deck my Captain lies,
Fallen cold and dead".

Piadinha

Em honra dos grandioso armazens El Corte Chinês que acabaram de abrir na nossa maravilhahosa e linda cidade aqui vai uma piadinha enviado por um Mouro, que só por acaso é um gajo todo porreiro:
" Su Wong marries Lee Wong.
The next year the Wongs have a new baby.
The nurse brings over a lovely, healthy, bouncy, but definitely Caucasian, white baby boy.
- "Congratulations" - says the nurse to the new parents.
"Well Mr. Wong, what will you and Mrs. Wong name the baby?"
The puzzled father looks at his new baby boy and says:
- "Well, two Wongs don't make a white, so I think we will name him... Sum Ting Wong".
P.S. esta piada foi contada num espirito de graça e sem qualqer sentimento racista por parte dos autores e qualquer semelhança com acontecimentos ou personagens reais são pura coincidência.

Já agora uma mensagem de aviso aos convidados do casorio que se adivinha - tá frio para caralho!!! se vem de roupa de verão é melhor pensar 2 vezes.Quem avisa amigo é!

segunda-feira, 16 de maio de 2005

Diálogos com os putos de hoje

Filho: Pai!
Pai:Humm...
Filho:Como é o feminino de sexo?
Pai: O quê?
Filho: O feminino de sexo.
Pai: Não tem.
Filho: Sexo não tem feminino?
Pai: Não.
Filho: Só há sexo masculino?
Pai: Sim. Quero dizer, não. Existem dois sexos, masculino e feminino.
Filho: E como é o feminino de sexo?
Pai: Não tem feminino. Sexo é sempre masculino.
Filho: Mas acabaste de dizer que há sexo masculino e feminino.
Pai: O sexo pode ser masculino ou feminino. A palavra sexo é sempre masculina. O sexo é que é masculino ou feminino.
Filho: Não deveria haver a sexa?
Pai: Não.
Filho: Mas porque não?
Pai: Porque não, merda! Desculpa, porque não. Sexo é uma palavra sempre masculina.
Filho: O sexo da mulher é masculino?
Pai: Sim. Não, não! O sexo da mulher é feminino.
Filho: E como é o feminino?
Pai: É sexo também. Igual ao do homem.
Filho: O sexo da mulher é igual ao do homem?
Pai: Sim. Ai... ! Olha... Há sexo masculino e feminino. Certo?
Filho: Sim.
Pai: Mas são duas coisas diferentes.
Filho: Certo, ok. Mas então qual é o feminino de sexo?
Pai: É igual ao masculino, filho!
Filho: Mas não são coisas diferentes?
Pai: Não! Ou melhor, sim! A palavra é a mesma. Muda o sexo, mas não a palavra.
Filho: Então, não muda o sexo. É sempre masculino.
Pai: A palavra é masculina.
Filho: Não. "A palavra" é feminino. Se fosse masculino, seria "o palavro".
Pai: Epá... Vai brincar...

O puto vai, obediente, e entra a mãe.

Pai: Temos de vigiar este miúdo, Maria.
Mãe: Porquê?
Pai: Só pensa em Gramática!

sexta-feira, 13 de maio de 2005

Ìndios

Um bravo indiozinho, filho do chefe Cabeça Grande Negra e Grossa, aproximou-se do pai numa manhã de radioso sol e perguntou-lhe:
- Meu pai, porque é que os nomes dos Indios são tão compridos e não são como os dos rostos-pálidos que se chamam Bill, Tex ou Sam?
- Filho, os nossos nomes são um símbolo da beleza natural de tudo o que acontece e representam a riqueza da nossa cultura na sua forma de expressão.
- Como assim meu pai?...
- Por exemplo, a tua irmã chama-se Lua Cheia no Grande Lago porque numa noite em que eu e a tua mãe passeávamos à beira dele numa noite de luar, abrigámo-nos, beijámo-nos e acasalámos.
- Humm ...
- Olha, o teu irmão chama-se Grande Corcel das Pradarias Imensas porque um dia vinha com a tua mãe a regressar à aldeia pela pradaria fora, estava muito sol, e resolvemos descansar, abrigámo-nos, beijámo-nos e ele foi gerado.
- Ah!...
- E que queres tu saber mais, meu pequeno Camisinha Frágil Importada da China?

Em pleno voo internacional

Em pleno voo internacional, daqueles que duram 13 horas, o piloto anuncia pelo sistema de som que o aviao estao a 10.000 pes do chao, a temperatura esta 12 graus, etc...etc...e deseja boa viagem a todos. Liga o piloto automático, mas esquece-se de desligar o som. Depois diz ao co-piloto, sem se dar conta de que esta toda a gente a ouvir: Hummn... (batendo na barriga). Agora vou dar uma cagada e comer a hospedeira. Lá fora, a hospedeira ouve e fica vermelha de vergonha, deixa cair a bandeja de cafe e sai a correr pelo corredor do aviao em direcção a cabine. Atravessa a classe económica disparada esbarra-se nas pessoas e derruba tudo o que encontra pela frente, ate que tropeça numa bengala de uma senhora idosa e cai.
A velhota a rir-se, diz:
Calma filha! Ele disse que vai cagar primeiro...

É que...

... Não há paciência!
Arre!

quarta-feira, 11 de maio de 2005

Optimismo irrealista? [Sobre a Sida]

(...) É assim que a prevenção de comportamentos de risco nestas faixas etárias é fundamental, defende a psicóloga [Marina Carvalho, Univ. Lusófona]. De acordo com dois estudos que assentam em inquéritos, feitos entre 2003 e 2004 junto a 762 adolescentes e 1356 jovens adultos de todo o país, a maior parte dos inquiridos diz estar informada sobre as vias de transmissão e as consequências da doença, mas mesmo assim não alteram os seus comportamentos de risco.
O estudo conclui que existe um défice de motivação para mudar de comportamento.(...)

Público
11 Maio 2005

Preocupante?

(...)A português, das três áreas testadas, é sobretudo o conhecimento explícito da língua que causa mais problemas: mais de metade de respostas incorrectas ou não dadas. Também é difícil aos alunos expressar opiniões fundamentadas ou compreender informação que não está explícita no texto, muito provavelmente porque obriga ao "raciocínio dedutivo, com recurso a conhecimentos e experiências prévias". Já em 2003 tinha sido assim.
Quanto à expressão escrita, os resultados são melhores mas não passam do razoável. Por exemplo, no que respeita à riqueza do vocabulário, 74% dos alunos conseguem comunicar, embora utilizando palavras simples e com confusões pontuais.
È nas competências relativas à compreensão da leitura e expressão escrita e conhecimento explícito da língua que os alunos mais falham.(...)
Público 11 Maio 2005

terça-feira, 10 de maio de 2005

"Moral da História?"

Era uma vez um rapaz "chamado Rodge Lang.Os miúdos na escola chamavam-lhe Epp. Um dia, um cão abandonado seguiu Epp no caminho da escola para casa. Epp correu, mas o cão continuava a segui-lo. Epp atirou ao cão uma parte do seu almoço, mas o cão não o deixava. Por fim continuando, tentou assustar o animal com um pau, mas o cão continuava a segui-lo. Passadas algumas milhas, Epp começou a ficar intrigado. Conduziu o cão através de um caminho ladeado de roseiras-bravas. O cão seguiu-o. Atirou uma pedra ao cão, mas o cão não se afastou. Finalmente, o Epp deu um pontapé no cão. O cão não fugiu. Epp voltou a dar-lhe pontapés, repetidas vezes. O cão não se movia. Epp matou então o cão a pontapés. Depois pegou nele, levou-o para baixo da sua árvore preferida e enterrou-o ali."

In "A Regra de Quatro" de Ian Caldwell e Dustin Thomason

A musiqueta

Como se eu não tivesse mais nada que fazer...
... fui aqui, por sugestão da Viúva Negra, ver qual era a musiqueta do meu dia de nascimento. Deixo aos curiosos a sugestão.

A minha: Queen - "Bohemian Rhapsody"

segunda-feira, 9 de maio de 2005

SOMOS PERFEITAS!

SOMOS PERFEITAS!!! - Uma HOMENAGEM às mulheres

SOMOS PERFEITAS!!!

-Não ficamos carecas...
-Temos um dia internacional...
-Sentar de pernas fechadas não dói...
-Podemos usar tanto rosa quanto azul...
-Sempre sabemos que o filho é nosso...
-Temos prioridade em botes salva-vidas...
-Não pagamos a conta. No máximo rachamos...
-A programação da TV é 90% voltada pra nós...
-Somos os primeiros reféns a serem libertados...
-A idade não atrapalha nosso desempenho sexual...
-Podemos ir pro trabalho de bermudas e sandálias...
-Se somos traídas, somos vítimas; se traímos, eles são cornos...
-Podemos dormir com uma amiga sem sermos chamadas de lésbicas
-Somos capazes de prestar atenção em várias coisas ao mesmo tempo...
-Mulher de embaixador é embaixatriz; marido de embaixadora ñ é nada...
-Não nos desesperamos em frente a um campo de grama com 1 bola e 22 mulheres...
-Somos monogâmicas (embora precisemos testar vários homens pra achar um que valha a pena)
-Mulher de presidente é Primeira-Dama; marido de presidenta é um zero à esquerda, mesmo que ele seja de direita...
-Nosso cérebro dá conta do mesmo serviço, mesmo com 4 bilhões de neurônios a menos, ou seja, nossos neurônios são mais eficientes.
-Se resolvemos exercer profissões predominantemente masculinas, somos "pioneiras", mas se um homem resolve exercer uma profissão tipicamente feminina, é bicha...
-E por último: Fazemos tudo o que um homem faz, e de ..SALTO ALTO!

SOMOS UM SHOW!!!!!!!

domingo, 8 de maio de 2005

Eu e a Matemática

Image hosted by Photobucket.com

Caos e Esplendor

[...] incorporámos o inferno no quotidiano do mais fascinante e atroz dos séculos. Basta passar em revista o imaginário deste fim de século - da ficção à música, do cinema ao teatro, da biologia à tecnologia - para ter uma ideia do ponto a que chegou um mundo onde o horror se tornou invisível, consumido como pura virtualidade, para ter uma ideia da metamorfose da cultura humana. Pode discutir-se se a desordem em que estamos mergulhados - desde a económica até à da legalidade e da ética - releva ou não, em sentido próprio, do conceito de caos. Do que não há dúvidas é de que o habitamos como se fosse o próprio esplendor.
Eduardo Lourenço in O Esplendor do Caos, Gradiva.
Ler mais aqui.

Droga

(...)Estamos assim na presença de uma dialéctica de dois paradigmas absolutamente opostos.
1 - Os que acreditam que a escravatura à droga é um caminho sem saída, defendendo a legalização do seu consumo, incentivando-o mesmo com a criação de "salas de chuto".
2 - Os que, por acreditarem que um indivíduo tem a capacidade de organizar um percurso independente e feliz, apostam decididamente no caminho da recuperação da sua dignidade, reforçando nele a preocupação da reconquista da consciência da autocensura como primeiro passo para a criação da tão almejada auto-estima, só possível com luta e nunca com permissividade.
Se a lei der cobertura a um caminho que na nossa perspectiva é claramente o errado, quais serão os valores que a sociedade aponta para o horizonte de um projecto de vida digno?É nosso entendimento que a lei não pode deixar de ser uma re- ferência de ética, fundamental e constitutiva de uma comunidade coesa e fraterna.

Emanuel Pinto Correia in Diário de Notícias [08.05.2005] a ler.

TIPOS DE HOMEM SEGUNDO AS MULHERES INFORMÁTICAS

HOMEM VIRUS: - Quando menos esperas, instala-se nos teus domínios e vai-se apoderando de todos os teus espaços. Se tentas desinstalá-lo vais perder muitas coisas; se não tentas, perdes todas.
HOMEM INTERNET: - É preciso pagar para lhe ter acesso.
HOMEM SERVIDOR: - Está sempre ocupado quando necessitas dele.
HOMEM WINDOWS: - Sabes que tem falhas, mas não podes viver sem ele.
HOMEM POWERPOINT: - Ideal para ser apresentado em festas e convenções.
HOMEM EXCEL: - Dizem que faz muitas coisas mas geralmente só o utilizamos para as quatro operações básicas.
HOMEM WORD : - Tem sempre uma surpresa reservada para ti e não existe, ninguém no mundo o compreende inteiramente.
HOMEM D.O.S.: - Todas o possuíram um dia, mas ninguém mais o quer agora.
HOMEM BACKUP: - Julgas que tem o suficiente, mas na hora do "vamos a ver" há sempre algo que falta.
HOMEM SCAN DISC: - Sabemos que é bom e que só quer ajudar, mas no fundo não sabe nada do que está a fazer.
HOMEM SCREENSAVER: - Não serve para nada, mas diverte-nos.
HOMEM PAINTBRUSH: - Puro adobe e nada de substância.
HOMEM RAM: - Aquele que esquece tudo logo que se desliga.
HOMEM DISCO RÍGIDO: - Lembra-se sempre de tudo.
HOMEM RATO: - Só funciona quando é arrastado.
HOMEM MULTIMÉDIA: - Faz tudo parecer bonito.
HOMEM UTILIZADOR: - Nunca faz nada bem e passa a vida a fazer perguntas.
HOMEM E-MAIL: - Em cada dez coisas que diz, nove são parvoíces.

(Eu, que não sou uma informática, fartei-me de aprender... e de rir! ) ... Smile! :)

sábado, 7 de maio de 2005

Tolerância

Grande arte é saber corrigir a tempo, oportunamente, abrindo uma porta; sem esmagar a pessoa mas ajudando a superar o erro. Quem sabe fazer esta distinção não deve ter medo de ter opinião, nem cai na ratoeira de se calar, dizendo que é tolerante.
A tolerância é com as pessoas, não com os actos.

Vasco Pinto de Magalhães, in Não Há Soluções, Há Caminhos

(Quando não há muito tempo sai uma citaçãozinha e 'tá bem bom)

sexta-feira, 6 de maio de 2005

Jeanny

Uma sugestão um pouco triste... Pessoal de 75, quem não se lembra da música Jeanny do cantor Falco? Encontrei-a por acaso quando andava à procura de algumas músicas do cantor.... (ex. Rock Me Amadeus) Podem não se lembrar mas, se ouvirem a música, lembram-se de certeza.
Esta música é sobre uma rapariga que comete o suicídio. Foi, na altura, proibida em alguns países por se suspeitar que tenha influenciado alguns adolescentes a cometer o suicídio.

Jeanny
Jeanny, komm, come on
Steh auf, bitte
Du wirst ganz naß
Schon spät, komm
Wir müssen weg hier
Raus aus dem Wald
Verstehst Du nicht?
Wo ist Dein Schuh
Du hast ihn verloren,
Als ich Dir den Weg zeigen mußte
Wer hat verloren?
Du, Dich?
Ich, mich?
Oder Oder wir uns?

Jeanny, quit livin' on dreams
Jeanny, life is not what it seems
Such a lonely little girl in a cold, cold world
There's someone who needs you
Jeanny, quit livin' on dreams
Jeanny, life is not what it seems
You're lost in the night
Don't wanna struggle and fight
There's someone who needs you

Es ist kalt
Wir müssen weg hier,
Komm.
Dein Lippenstift ist verwischt ~
Du hast ihn gekauft und
Und ich habe es gesehen
Zuviel Rot auf deinen Lippen
Und du hast gesagt "mach mich nicht an"
Aber du warst durschaut.
Augen sagen mehr als Worte
Du brauchst mich doch, hmmmh?
Alle wissen, daß wir zusammen sind
Ab heute Jetzt hör ich sie!
Sie kommen!
Sie kommen Dich zu holen.
Sie werden Dich nicht finden.
Niemand wird dich finden!!
Du bist bei mir.
Jeanny, quit livin' on dreams...

Newsflash:
In den letzen Monaten ist die Zahl
Der vermißten Personen dramatisch angestiegen
Die jüngste Veröffentlichung der lokalen Polizei-
Behörde berichtet von einem weiteren tragischen Fall.
Es handelt sich um ein neunzehnjähriges Mädchen,
Das zuletzt vor vierzehn Tagen gesehen wurde.
Die Polizei schließt die Möchligkeit nicht aus, daß es
sich hier um ein Verbrechen handelt.
Jeanny, quit livin' on dreams...

quinta-feira, 5 de maio de 2005

A Opereta do Hospital do Algarve

Há dias em que a política me enoja. Não falo da verdadeira política, aquela que traça caminhos, escolhe desafios e estabelece objectivos. Falo da outra, aquela que elege a intriga como arma de conquista do poder, a mentira como forma de seduzir o eleitorado e a divisão como caminho para reinar.

A polémica em torno da construção hospital central do Algarve, que num minuto vai avançar e no minuto seguinte já não vai, ou vice-versa, é um exemplo do pior que se pode ver na nossa moderna democracia. Sócrates prometeu o hospital em campanha eleitoral. Correia de Campos anunciou publicamente que a construção não avançava. A população protestou, liderada pelo social-democrata Macário Correia, e logo Sócrates se apressou a dizer que o avanço do hospital nunca esteve em questão, só os estudos é que não foram feitos pelo anterior Governo, por isso a construção vai demorar um pouco mais...

Com sorte, só na próxima legislatura, se os algarvios deixarem o assunto morrer. Ou talvez até avance nesta, se for a única forma de calar o autarca da oposição, independentemente do ministro entendido em saúde desaconselhar. Se calhar, Correia de Campos até se demite por causa disto. Mas não sejamos ingénuos! Isso seria o fim da telenovela, que assim mais pareceria venuzuelana do que portuguesa.

O mais provável, é que novos capítulos se estejam a preparar. Quer-me parecer que nenhum dos lados vai abdicar de fazer render o peixe enquanto puder e os telejornais ajudarem. Certo, certo, é que se adivinham intrigas da mais baixas, mentiras das mais sedutoras e grandes divisões. O cenário ideal para entrarem em acção os “Fantasmas da Opereta”, primorosamente descritos por Paulo Baldaia, num artigo do Diário de Notícias publicado a 16 de Abril.

Nesse artigo, o editor executivo do DN, especialista em assuntos de política, dizia que “vivemos num país assombrado”, onde a política é feita “num jogo de sombras em que manda menos quem aparece e mais quem está escondido”. Resta saber quem é o fantasma que vai dominar esta opereta/telenovela, recheada de actores de série B, cantores desafinados e maestros sem ouvido. O sucesso na bilheteira é que já está garantido. Como em qualquer opereta de qualidade duvidosa, devidamente anunciada pela televisão!

quarta-feira, 4 de maio de 2005

«A Senhora dos Açores»

A escritora italiana Romana Petri acabou de lançar um novo livro em Portugal. “Os Pais dos Outros” é um livro de contos dramático, sobre a violência entre pais e filhos. Vai daí que toda a imprensa nacional aproveitou para falar do lançamento. Só na última semana, multiplicaram-se as entrevistas à autora, durante a sua passagem por Portugal. Em quase todas elas, foi notório desconhecimento que os jornalistas tinham da obra da autora e do seu fascínio pelos Açores...

A verdade é que Romana Petri ficou obcecada pelos Açores quando leu “A Mulher de Porto Pim” – esse grande pequeno livro de António Tabucchi – e não descansou enquanto não veio conhecer as ilhas. De uma longa temporada passada na ilha do Pico, nasceu um livro, a que chamou “A Senhora dos Açores” e que a crítica italiana distinguiu com o Prémio Grinzane Cavour.

«No dia anterior não tinha reparado, talvez devido ao mau tempo, mas agora, que fazia sol, vi uma paisagem de rara beleza, parecia uma terra do fogo que por brincadeira tinham posto a flutuar no oceano.» Expressões como esta multiplicam-se na obra da autora, que entre nós está publicada pela editora Cavalo de Ferro, que fez o favor de a revelar a Portugal. A tradução do livro para português não é perfeita (chama angélica à espirituosa angelica e chama-rita à nossa tradicional chamarrita), mas isso é de somenos importância perante a descrição que a obra faz das vivências profundas do Pico, onde as pessoas «vivem no tempo de uma paz que nunca existiu». É uma viagem a um outro mundo, que quase nos esquecemos que ainda existe.

Recomendo «A Senhora dos Açores» especialmente a quem não tem medo de fantasmas, nem tão pouco da alma humana. Neste livro, a solidão tem o peso que a lava lhe dá.

+ 2

Amigas bravas, apanhámos no pasto mais duas bravezas da terra. A Muuu e a Lucrécia.
Bem vindas amigas.

Sonhos

"O Paraíso não é um lugar nem um tempo,
O Paraíso é ser-se perfeito!"
Richard Bach