domingo, 30 de outubro de 2005

A gripe das televisões...

Por estes dias, a minha avó, preocupada com a minha saúde, recomendou-me que tivesse cuidado com o frio. Eu, que tinha acabado de curar uma faringite, tratei de a descansar dizendo que não se preocupasse, que já estava bem, e que até nem estava muito frio na rua. Ainda nem terminara de falar, quando a minha avó reforçou o seu conselho com um novo argumento: “Cuidado com o frio, olha que anda aí a gripe das aves!”.

Perante tão absurdo conselho, não pude deixar de largar uma sonora gargalhada. Para não ofender a minha avó, que percebe muito mais de aves do que eu, tratei de a tranquilizar, explicando que a gripe das aves não se apanha através do frio. Mas a verdade é que a minha avó, tal como grande parte da população deste país, ainda nem percebeu bem o que é a gripe das aves, quanto mais que a doença se apanha por contacto com aves infectadas. E eu, que já estou farta de ouvir falar no fenómeno, precisei de ouvir as suas palavras para me aperceber do nível de informação que as nossas televisões têm transmitido.

A gripe das aves faz a abertura dos telejornais, mas o conteúdo das notícias é tão bom que a minha avó, que vê religiosamente o telejornal e toda a vida teve galinhas na sua quinta, nem sequer tinha percebido que a gripe das aves não se apanha pelo frio...

quinta-feira, 27 de outubro de 2005

Para as minhas queridas amigas bravas.

Gripe das Aves

*Lembro que penso ser hoje que se debate o problema no «Estado da Região»... e já agora, para relaxar, não deixem de ir ao Objectos.

Mais um pato bravo...

Recebido por email. Não sei se é de fonte segura, nem fui confirmar se os dados estão correctos, mas a sê-lo... é estupidamente grave.

"APESAR de ter apenas 50 anos de idade e de gozar de plena saúde, o socialista Vasco Franco, número dois do PS na Câmara de Lisboa durante as presidências de Jorge Sampaio e de João Soares, está já reformado.

A pensão mensal que lhe foi atribuída ascende a 3.035 euros (608 contos), um valor bastante acima do seu vencimento como vereador.

A generosidade estatal decorre da categoria com que foi aposentado - técnico superior de 1ª classe, segundo o «Diário da República» - apesar de as suas habilitações literárias se ficarem pelo antigo Curso Geral do Comércio, equivalente ao actual 9º ano de escolaridade.

A contagem do tempo de serviço de Vasco Franco é outro privilégio raro, num país que pondera elevar a idade de reforma para os 68 anos, para evitar a ruptura da Segurança Social.
O dirigente socialista entrou para os quadros do Ministério da Administração Interna em 1972, e dos 30 anos passados só ali cumpriu sete de dedicação exclusiva; três foram para o serviço militar e os restantes 20 na vereação da Câmara de Lisboa, doze dos quais a tempo inteiro. Vasco Franco diz que é tudo legal e que a lei o autoriza a contar a dobrar 10 dos 12 anos como vereador a tempo inteiro.

Triplicar o salário. Já depois de ter entregue o pedido de reforma, Vasco Franco foi convidado para administrador da Sanest, com um ordenado líquido de 4000 euros mensais (800 contos). Trata-se de uma sociedade de capitais públicos, comparticipada pelas Câmaras da Amadora, Cascais, Oeiras e Sintra e pela empresa Águas de Portugal, que gere o sistema de saneamento da Costa do Estoril. O convite partiu do reeleito presidente da Câmara da Amadora, Joaquim Raposo, cuja mulher é secretária de Vasco Franco na Câmara de Lisboa. O contrato, iniciado em Abril, vigora por um período de 18 meses.A acumulação de vencimentos foi autorizada pelo Governo mas, nos termos do acordo, o salário de administrador é reduzido em 50% - para 2000 euros - a partir de Julho, mês em que se inicia a reforma, disse ao EXPRESSO Vasco Franco.

Não se ficam, no entanto, por aqui os contributos da fazenda pública para o bolo salarial do dirigente socialista reformado. A somar aos mais de 5000 euros da reforma e do lugar de administrador, Vasco Franco recebe ainda mais 900 euros de outra reforma, por ter sido ferido em combate em Moçambique já depois do 25 de Abril (????????), e cerca de 250 euros em senhas de presença pela actuação como vereador sem pelouro.

Contas feitas, o novo reformado triplicou o salário que auferia no activo, ganhando agora mais de 1200 contos limpos. Além de carro, motorista, secretária, assessores e telemóvel."

quarta-feira, 26 de outubro de 2005

Rosa Parks


Activista afro-americana
PELOS DIREITOS CÍVICOS
A negra do Alabama que ousou dizer não.
A recusa em dar o seu lugar no autocarro a um branco ajudou a mudar a história.
Aqui.

terça-feira, 25 de outubro de 2005

Cavaco vs Alegre

Li no Abnóxio:

"Elogio de Cavaco...
Não sou socialista, mas farei campanha por Manuel Alegre e votarei em Manuel Alegre, na primeira e na segunda voltas. E não tenho dúvidas de que a eleição presidencial irá decidir-se, por uma margem de votos muito pequena, entre Cavaco e Alegre. Espero, naturalmente, que o meu candidato vença, mas reconheço que, hoje, Cavaco é um opositor de peso, muito mais do que o foi em 1996. Cavaco é um tipo sério e que, de uma forma consistente, transmite a imagem de alguém que, genuinamente, acredita no que está a dizer. De Soares, ninguém poderá, em consciência, afirmar o mesmo.Apesar de ser apoiado por uma turbamulta de deserdados do regime, que esperam há muito tempo a oportunidade de um ajuste de contas, não tenho dúvidas de que Cavaco é confiável como Presidente da República. Tenho a certeza de que, em condições normais, cumprirá e fará cumprir a Constituição da República, procurando garantir o regular funcionamento das instituições democráticas. E estou convencido de que agirá sempre com lisura, honrando o compromisso de preservar a "estabilidade". De Soares, ninguém poderá, em consciência, afirmar o mesmo.O que me separa de Cavaco é tudo o mais: a frieza tecnocrática, a cultura light, a pose académica e magistral, o discurso acaciano, quadrado e conformista. É formalmente confiável, mas não inspira paixão - e, na presente conjuntura, os portugueses precisam, politicamente, de se apaixonar, de acreditar numa causa, de voltar a sonhar.Eis a razão principal por que apoio Manuel Alegre. Talvez ele não perceba muito de economia e de finanças, mas tem biblioteca e fala como se o país mais secreto e antigo falasse com ele. Ele faz-me reconciliar com a grandeza da história de Portugal e esse é, sem dúvida, o seu grande trunfo. Se o souber jogar, ganhará."

Ora bem, não vou votar Alegre, mas sim Cavaco pelas mesmas razões acima ditas. Não creio que haja necessidade de paixões ou de sonhos, ou de tão perto, sussurros secretos ao ouvido para o bem dos portugueses. Talvez seja esse o nosso mal. Querermos viver de paixões em vez de usarmos mais a razão.
Pois seja. Vão sonhando, lendo poemas e rezando a Deus, que as vossas utopias aparecem de certeza por obra do Espírito Santo.
Hellooooo... D. Sebastião não volta...!
Por outro lado, também não vou ficar muito triste se Alegre ganhar. Não desgosto do homem apesar de achar que não seja cargo para ele (sinceramente também não me apetece ver tudo PS), e assim, dou-lhe o benefício da dúvida. Tudo menos Soares.
Deixo inclusivé o blog de campanha de Alegre, só para não dizerem que não sou democrata. ;)
Boas reflexões e bons votos.

segunda-feira, 24 de outubro de 2005

Uma bloquista para Soares

Alguém me explica porque é que Mário Soares, candidato assumido do PS às próximas eleições presidenciais, escolheu uma mandatária para a juventude que é tão só deputada do Bloco de Esquerda? Será que o partido está tão velho como ele próprio, que nem sequer consegue gerar sangue novo? Ou será que nem aos 80 anos ele resiste à tentação de dar um pulinho fora da cerca?

Deduções ... e Complicações

Sherlock Holmes e Dr. Watson vão acampar.
Montam a barraca e, depois de uma boa refeição e uma garrafa de vinho,deitam-se para dormir.
Algumas horas depois, Holmes acorda e diz ao seu fiel amigo:
- Meu caro Watson, olhe para cima e diga-me o que vê.
Watson responde:
- Vejo milhares e milhares de estrelas.
Holmes, então, pergunta:
- E o que é que isso significa?
Watson pondera por um minuto, depois enumera:
- 1) Astronomicamente, significa que há milhares e milhares de galáxias e,potencialmente, biliões de planetas; - 2) Astrologicamente,observo que Saturno está em Leão e teremos um dia de sorte; - 3) Temporalmente, deduzo que são aproximadamente 3h15 pela altura em que se encontra a Estrela Polar; - 4) Teologicamente, posso ver que Deus é todo poderoso e somos pequenos e insignificantes;- 5) Meteorologicamente, suspeito que teremos um lindo dia amanhã.Correcto?
Holmes fica um minuto em silêncio;então responde:
- Watson, seu imbecil! Significa apenas que alguém roubou a nossabarraca"!!!

"A VIDA É SIMPLES, NÓS É QUE TEMOS A MANIA DE COMPLICAR"

(recebi este mail de uma complicadinha alegre como eu própria... eh eh eh)

sábado, 22 de outubro de 2005

Dignidade Humana


"No reino dos fins, tudo tem um preço ou uma dignidade. Quando uma coisa tem um preço, pode pôr-se, em vez dela, qualquer outra coisa como equivalente; mas quando uma coisa está acima de todo o preço, e portanto não permite equivalente, então ela tem dignidade"
Kant
... ou simplesmente naveguem por lá: http://www.cnecv.gov.pt/ , reparem que temos nesta comissão «prata da casa» e, na minha humilde opinião, de maior valor.

IRS

Caros,
Se abrirem actividade e a fecharem depois, sem ter facturado, seja por que motivo for... nunca sejam honestos e não coloquem lá zeros. O sistema assume automaticamente os valores mínimos e pagam IRS na mesma.
"É uma situação particular" - diz-me o homem - "ãh ham..." - digo eu.
Para a próxima resolvemos doutra forma as particularidades.

quinta-feira, 20 de outubro de 2005

Bem vinda Isabelinha!






Já nasceu a Isabelinha!!!!
Tem 3700 kgs e é lindaaaaaaa como a sua mãe :)
Parabéns amiga querida!

terça-feira, 18 de outubro de 2005

Professores do quadro de honra

“Quando há dias me perguntaram quais as pessoas que mais influenciaram a minha vida, não pude deixar de pensar em duas professoras que, sem saber, me marcaram para sempre: Maria Vasconcelos e Natália Lemos.
Foram ambas professoras na Escola Primária Coronel Silva Leal, que nos anos 80 era um exemplo de bom ensino e referência obrigatória para qualquer candidato a professor na Escola do Magistério Primário da Horta. Mas os seus métodos de ensino eram tão diferentes quanto as suas personalidades, o que só engrandeceu os alunos que passaram pelas suas mãos.
A primeira, Maria Vasconcelos, foi quem me ensinou a escrever e me despertou para a leitura. Mas a verdade é que nos dois primeiros anos da escola primária me deu muito mais do que as bases do portugês e da matemática. O seu coração generoso deixou-me para a vida ensinamentos sem preço, que dificilmente poderiam caber nas linhas de um parágrafo, ou sequer de uma crónica.
Quando, no final do meu segundo ano, Mariazinha Vasconcelos (como carinhosamente ainda é conhecida no Faial) se reformou, a turma separou-se. Metade da classe trocou a Escola Primária Coronel Silva Leal pela nova primária da cidade e a outra metade, em que eu me incluía, passou para as mãos da professora Natália Lemos. Parecia o fim do paraíso, mas a nova professora depressa nos mostrou a outra dimensão da escola, onde o saber ultrapassava o programa escolar.
Em conjunto com o marido, Alberto Lemos – também ele professor naquela escola – provou-nos que a educação não se limita ao manual escolar. Aquele casal gastou o seu tempo e vida pessoal a preparar espectáculos, a escolher músicas e peças para ensinar aos seus alunos. Poucos terão passado pelas suas mãos sem aprender que estudar também é dançar o nosso folclore tradicional, recitar um poema ou representar uma cena de teatro. Tal como poucos terão saído das mãos de Mariazinha Vasconcelos sem saber que o esforço e a dedicação podem suplantar o talento mal aproveitado.
Professores como estes são raros hoje. Não porque não existam, mas porque lhes falta “tempo” e “espaço” para ensinarem as lições que não vêm no manual escolar. E que os alunos só aprenderão se quem os ensina se puder dedicar ao ensino de corpo e alma, em vez de andar preocupado com a ausência da família ou as duas rendas de casa para pagar no fim do mês.”

Lídia Bulcão, in Jornal dos Açores de 18-10-2005

Existe um país...

... onde um cidadão de 81 anos depois de ter cumprido 10 anos de mandato como Presidente da República, e de ter estado 10 anos de molho, decide candidatar-se novamente para salvar o país de um fantasma, passando por cima de um amigo de longa data.
Existe um país onde três candidatos autárquicos que acabam de vencer as eleições, estão indiciados por processos fraudulentos e uma outra candidata, a candidata com mandato de prisão emitido e foragida no Brasil, tem toda a cidade a saudando-a tal qual D.Sebastião.
Existe um país onde o único escritor galardoado com o prémio nobel da Literatura vive no país vizinho.
Existe um país de onde é oriundo aquele que é considerado o melhor treinador de futebol da actualidade, cujo seleccionador nacional é estrangeiro.
Existe um país onde o maior sucesso nacional do ano é um disco de originais de um músico que morreu há quinze anos.
Existe um país onde os dois guarda-redes da selecção nacional são suplentes de dois guarda-redes da mesma nacionalidade nos respectivos clubes.
Existe um país onde o nome da mascote do principal evento desportivo alguma vez organizado começa por uma letra (k) que não faz parte do seu alfabeto.
Esse país estranho é o meu país.
Esse país só gosta dele próprio e da sua bandeira quando vem alguém de fora jurar a pés juntos que somos bons.

segunda-feira, 17 de outubro de 2005

domingo, 16 de outubro de 2005

100 euros...?


Isto a ser verdade - mesmo que legal (não faço ideia se o é ou não) - enoja-me profundamente. Como é que alguém pode ter esta brilhante ideia, não «adivinhando» de antemão que envergonha todos aqueles que representa, e até mesmo quem é militante doutras paragens?
Ainda por cima acabo de ver os disparates dos "fariseus" recém-eleitos e possíveis corruptos no «Nós por cá» da SIC.
Mais palavras para quê...? Factos são factos, e esta situação actual é indecente demais para ser contornável.
*imagem retirada do Ardemares

terça-feira, 11 de outubro de 2005

Mais do mesmo

Falando mais um pouco em ética política.
Não sou expert, mas posso dizer do pouco que sei.
Ética política é ter respeito pelos outros como pessoas que são, como nossos semelhantes com os mesmos direitos, o que implica saber refutar as suas ideias sem que se entre em cinismos ou guerrilhas que se sabem de antemão não levar a lado nenhum (isso não será uma con-versa, mas sim uma afirmação ou negação apriori do que o outro poderá ter para dar), ou seja, não é sinónimo de chamar nomes e tirar olhos aos outros «amigavelmente».
Ética política é ser-se correcto ou coerente/congruente em relação ao que nos propusemos, não é sinónimo de manipulação ou de maquiavelismo. Até o utilitarismo de Stuart Mill era ético.
Ética política é saber usar a liberdade de expressão ou de acção sem que se caia em libertinagem ou demagogia, pede-se consciência social. Em sociologia chamam a isto «densidade social» que é o grau de unidade material e moral duma sociedade, medida, ao mesmo tempo, pela concentração da população e pelo número de indivíduos que vivem a vida moral comum.
Ética política é não usar o argumento falacioso «Ad Hominem» que significa que quando, em vez de se procurar refutar a verdade de uma asserção, se ataca a pessoa que a faz. Explico, aqueles que utilizam o ataque ofensivo «Ad Hominem» procuram desacreditar ideias desacreditando a pessoa que as tem. O facto de um ataque falacioso com estas características ser despoletado por uma pergunta não falaciosa não altera em nada, como não alteraria mesmo que esta o fosse.
Há valores, meus caros, que por mais que se adulterem com as modas e/ou por consequência da época, acabam sempre por vir ao de cima, e em política uma carreira é construída sobre eles.
É uma escada que tem degraus de manteiga, até porque não há poder que dure para sempre, o poder é efémero.

Passatempo

O Rei Tut morreu 120 anos depois do Rei Eros.
As suas idades somadas dão 100 anos.
O Rei Eros morreu em 40 a.C..
Em que ano nasceu o Rei Tut?

*Dá-se apoio moral, palmadinhas nas costas e sobe-se o ego a quem descobrir a solução.

segunda-feira, 10 de outubro de 2005

Ser Feliz

"Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não". É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta. Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo..."


(Fernando Pessoa)

Ética Política

Muito se falou dela depois das eleições... quando se deveria ter falado nela antes.
Já que a preocupação parece ser geral (e porque, para variar, se espera pelas asneiras cimentadas para depois se fazer alguma coisa), aconselhava todos os interessados na matéria a procurar o significado dos dois termos e a sua relação.

domingo, 9 de outubro de 2005

SOS -----> RTP-A online

Fui ao http://www.acores.net/rtp/online.php a ver se via a RTP-A online, mas não consigo... e também já fiz o download do Real Player.
Se alguém conseguir ver alguma coisa, agradecia que me dissesse, só para eu saber se o problema é deles ou do meu pc.
(antes das 19horas dava jeito)
:)

sexta-feira, 7 de outubro de 2005

O pacotinho da D. Beatriz.....

Ola amigas e companheiras de pasto, espero que gostem da historia da D. Beatriz e do seu pacotinho...eheheheh!!!!

A D. Beatriz, organista numa igreja, tem 80 anos e é solteira. Era admirada por todos pela sua simpatia e doçura. Uma tarde, convidou o novo padre da igreja para ir lanchar a sua casa e ele ficou sentado no sofá, enquanto ela foi preparar um chá. Olhando para cima do órgão, o jovem padre reparou numa jarra de vidro com água e, lá dentro, boiava um preservativo. Quando a D.
Beatriz voltou com ochá e as torradas, o padre não resistiu a tirar a sua curiosidade perguntando o porquê de tal decoração em cima do órgão. E responde ela apontando para a jarra: "Ah! refere-se a isto? Maravilhoso, não é? Há uns meses atrás, ia eu a passear pelo parque, quando encontrei este pacotinho no chão. As indicações diziam para colocar no órgão,manter húmido e que, assim, ficava prevenida contra todas as doenças. E sabe uma coisa?
Este Inverno ainda não me constipei".

Saudinha!!!!!!!!!!!! E Bom Fim-De-Semana!!
Nao se esqueçam de VOTAR!!!!

razões mais que suficientes para ser do BENFICA

1. Uma razão natural

A mulher dá à LUZ, não às Antas e nem a Alvalade...


2. Uma razão teológica
Jesus Cristo encarnou, não azulou nem esverdeou...

3. Uma razão bíblica
Está escrito "dominarei os leões e dragões e voarei para o céu nas asas de uma águia"

foi-me enviado por e-mail e é totalmente dedicado ao João Martins... ;)

quinta-feira, 6 de outubro de 2005

Su Doku

Image hosted by Photobucket.com

Muito se tem falado e feito Su Doku, principalmente para os leitores do Público, onde tudo começou.

Sudoku, por vezes escrito Su Doku, (sūdoku) foi originalmente criado por um médico suiço no séc. XVIII.

Jogo de raciocínio, tem-se o objectivo de colocar números de 1 a 9 em cada uma das células vazias numa grelha de 9×9, constituída por 3×3 subgrelhas chamadas regiões. Cada coluna, linha e região só pode ter um número de cada um dos 1 a 9. Resolver o problema requer (apenas) raciocínio lógico e algum tempo. O que se quer dizer é que para se ser bem sucedido no Sudoku não são necessários conhecimentos prévios - só mesmo tempo, paciência e perseverança. Ah, e tem níveis de realização: fácil, médio e complexo. Dizem que é viciante. O que, a ser verdade, atesta que a simplicidade também faz quebra-cabeças...

«Nenhum leitor ainda não contagiado deve sequer passar os olhos por um sudoku. É que no sudoku escondem-se o vício e a loucura. Os sudokus são para os primeiros anos do século XXI o que o cubo de Rubik foi para os anos 70: uma obsessão que nos apaixona a todos.» TOM UTLEY, Daily Telegraph

Sudoku Online PT; SudokuPlus Top; Sudoku Top 50; Sudoku Links;

Não será assim?

"Quando vejo um homem ser aplaudido pela multidão, sinto pena dele. Tudo o que ele necessita para ser vaiado é viver tempo suficiente"

H.L. Mencken